O motorista suspeito de atropelar e matar a estudante da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), Caroline Beatriz Olímpio, de 19 anos, estava acima da velocidade permitida no trecho da rua Pedro Viriato Parigot de Souza quando o acidente aconteceu. A informação foi confirmada por um laudo do Instituto de Criminalística do Paraná desta terça-feira (24).

Caroline

De acordo com o documento, a velocidade máxima permitida na via é de 60 km/h e o motorista Fernando Rocha Fabiani estava a 114,52 km/h.

Já o outro motorista suspeito de envolvimento no suposto racha que terminou com a morte de Caroline, Nicholas Henrique Castro, também estava acima da velocidade permitida no local. Segundo o laudo, ele estava dirigindo a 88,70 km/h.

O caso

Caroline estudava Arquitetura e Urbanismo da UTFPR. Ela estava voltando da faculdade depois de tentar tirar um xerox quando foi atropelada por Fernando, que dirigia um veículo UP TSI, vindo a morrer na hora. Testemunhas disseram que ele e Nicholas estavam praticando um racha.

O atropelamento aconteceu em frente à Universidade Positivo, no Câmpus Ecoville.

Outro lado

“A defesa técnica de Nicholas Henrique Castro recebeu com surpresa a informação de que o laudo foi vazado à imprensa antes de ser aportado aos autos do processo. De qualquer forma, as informações contradizem a versão inicialmente propalada de que haveria um “racha” entre os automóveis, seja pela discrepância das velocidades desenvolvidas, seja pela distância que um automóvel se encontrava do outro, em contradição com a hipótese precocemente ventilada pela acusação.“, diz a nota.

O espaço está aberto para a defesa de Fernando Rocha Fabiani e da família de Caroline.