O desembargador Clayton Camargo, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), concedeu no começo da tarde desta quinta-feira (6) uma liminar que permite ao médico Ulisses Misima Ribeiro, de 43 anos, deixar a prisão. Ribeiro é suspeito de participar de um racha na BR-277, no bairro Orleans, em Curitiba. Segundo a Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), a competição automobilística foi a causa do atropelamento que matou o servente Marcelo da Trindade, de 48 anos.

Reprodução

Na decisão, Camargo justifica que “foram realizadas todas as diligências pretendidas pela autoridade policial e devidamente cumpridas sem qualquer obstáculo por parte do ora paciente. Com efeito, não houve qualquer tipo de embaraço nas buscas e apreensões e já foram ouvidos o investigado e as testemunhas indicadas, tendo o paciente fornecido todas as informações sobre seus dados pessoais e endereços onde pode ser encontrado e intimado dos atos processuais, inexistindo indicativos de que a sua liberdade possa atrapalhar a consecução das diligências necessárias para elucidação dos fatos ou o curso regular das investigações. Portanto, ausentes os requisitos da prisão temporária”.

Ribeiro foi preso na última terça-feira (4). Ele é apontado pela Dedetran como o motorista do veículo Volvo que aparece em imagens de uma suposta competição automobilística contra a BMW de Silvio Eduardo de Alencar Santos, de 20 anos.

No momento do acidente, o médico estava com a esposa, dois filhos e uma amiga no veículo.

O acidente

O atropelamento aconteceu no dia 13 de julho, na BR-277, em Curitiba. A BMW dirigida por Silvio Eduardo de Alencar Santos, de 20 anos, fazia a pista sentido Centro de Curitiba quando capotou e matou Trindade.

Para a polícia, a BMW e o Volvo disputavam uma corrida automobilística, o popular racha.

A vítima tinha há oito anos superado o alcoolismo e passava por um ótimo momento, segundo familiares. Atualmente, Marcelo trabalhava para a concessionária Rodonorte, que administra o trecho em que o acidente aconteceu.

Ele trabalhava com o filho no momento em que foi atingido.