Um jovem, de 18 anos, se afogou após supostamente ter entrado na água e sofrido um mal súbito, na tarde desta quarta-feira (25), em uma cava que fica às margens da rodovia João Leopoldo Jacomel, limite entre Pinhais e Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. O Corpo de Bombeiros e uma aerovane do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) foram acionados para atender a ocorrência.

(Foto: Daniela Sevieri/Banda B)

Um conhecido da vítima, Maxwel Amaral, contou que o jovem ainda tentou se segurar em um amigo. “Eles vieram nadando contra a correnteza, então acho que o piazão cansou a mão e se segurou no shorts do meu parceiro, que conseguiu sair da água. Nós pulamos de volta na água e só conseguimos encontrar ele quando os bombeiros chegaram”, relatou

O Tenente Hreczuck, do 6º Grupamento do Corpo de Bombeiros, explicou que os bombeiros conseguiram tirar a vítima rapidamente da água, o que fez a diferença. “A guarnição de Pinhais chegou rapidamente e fizeram a primeira intervenção tirando o afogado da água, cerca de 20 minutos depois do acionamento. Em paralelo, o resgate aeromédico foi acionado, fizemos as manobras de reanimação e tivemos sucesso. Agora a vítima está sendo encaminhada com vida para o Hospital Cajuru”, afirmou o tenente.

O médico do Siate, Dr. Chesi, explicou que embora a vítima tenha sido reanimada, o estado de saúde do rapaz é delicado. “É sempre grave quando o coração de um jovem para de bater por falta de oxigênio”, disse ele.

Mesmo com o afogamento e a população percebendo a dificuldade para salvar o rapaz, outros jovens insistiam em continuar na cava. Hreczuck disse que foi preciso intervir para que outros incidentes não acontecessem. “Tivemos que intervir de forma incisiva, pois pessoas insistiam em continuar na água. Pedimos para que elas se retirassem, se não poderiam ser encaminhados para a delegacia. O local é impróprio para banho, por conta da profundidade grande e da quantidade de detritos nas margens e no fundo”, alertou o tenente.

A vítima foi encaminhada de aeronave até um Pronto Socorro da Região. Ele ainda corre risco de morte.