Com a mudança da bandeira laranja (risco médio para a covid-19) para amarela (alerta) em Curitiba, a partir desta terça-feira (18), bares, restaurantes e lanchonetes da cidade podem funcionar durante todos os dias da semana, mas respeitando as regras sanitárias estabelecidas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). No entanto, as restrições do novo decreto não agradaram a categoria e foram alvo de críticas do presidente da Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas), Fábio Aguayo, que prometeu entrar na Justiça para derrubar as limitações.

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

“Nós não apoiamos 100% esse novo decreto, pelo contrário, achamos que devemos ter o mesmo benefício do transporte coletivo com ocupação de 50%. O mesmo benefício que tiveram os hotéis, por exemplo. A regra atual que determina 9m² para cada cliente é inviável para o nosso negócio”, disse Aguayo.

Ele afirmou também que esperava, com a bandeira amarela, que os estabelecimentos pudessem funcionar em qualquer hora do dia e que o funcionamento de buffet por quilo fosse liberado.

“E por que continuar a proibição de música ao vivo? Temos que respeitar todos os itens do alvará de funcionamento. Queremos isso e vamos para a Justiça questionar mais uma vez o decreto atual’, prometeu o presidente da Abrabar.

Outro questionamento é a ausência de uma plano de retomada para atividades que continuam suspensas, como eventos corporativos e casas noturnas.

SMS

Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (17), a secretária municipal de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, explicou que os bares podem funcionar, mas precisam seguir as regras sanitárias. “Os bares podem funcionar como bares, mas seguindo o regramento de distanciamento social. Você pode ir com uma amiga, alguém da tua convivência, sentar no bar, pedir a sua bebida e conversar, mas não está permitido música ao vivo ou dança. Não pode nada que provoque aglomeração”, afirmou a secretária.

A médica infectologista da secretaria, Marion Burger, disse que é preciso ter responsabilidade. “Cada pessoa precisa ser responsável pela sua saúde e pela saúde do próximo. Eu não vou pro bar sem a máscara, sem respeitar o distanciamento. Não pode haver aglomeração em bares, mesmo em locais abertos”, frisou Burger.

Conforme decreto municipal nº 1.080, os restaurantes, lanchonetes e bares podem funcionar das 6 às 23 horas, todos os dias da semana, mas sem música ao vivo. Buffets por quilo seguem proibidos.