Foto: Cesar Brustolin/SMCS

 

O Hospital Evangélico de Curitiba atendeu, até a manhã desta quarta-feira (2), 43 vítimas de queimaduras. A maioria dos casos, segundo a ala de queimados do pronto-socorro, é de pessoas vítimas de superfície aquecida, ou seja, com ferimentos provocados por forno quente ou churrasqueira.

De acordo com a coordenadora da ala de queimados, enfermeira Cynthia Veiga, o hospital registrou um aumento de 15% nos atendimentos se comparado com o ano passado. “A gente percebe uma banalização nesse manuseio com forno, churrasqueira ou fogos. A recomendação é sempre a de cuidado e respeito às orientações”, disse.

Ao todo, nove vítimas seguem internadas no pronto-socorro vítimas de queimaduras.

Fogos de artifício

Entre os 43 casos, oito foram ocasionados por fogos de artifício, incluindo a vítima mais grave. Um homem de aproximadamente 30 anos tentou explodir um rojão na mão, sem prolongador, e acabou com queimaduras de terceiro grau no braço e na mão.

“É necessário procurar indicações nas embalagens, sempre respeitando a distância recomendada”, explicou a coordenadora.

Sol

Sem atendimentos por queimadura de sol, o Hospital Evangélico espera um aumento no número a partir desta quarta. O principal motivo é o retorno das praias, e a busca por atendimento tardio.

A orientação é sempre do uso do protetor solar e por mais de uma vez ao dia.