Guardas municipais e secretário de segurança assinam decreto que libera o uso de barba e bigode na instituição. (Foto: Reprodução/Facebook)

 

Os guardas municipais de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, agora são autorizados a usar barba e bigode. O Sigmetro, sindicato que representa a categoria em toda a grande capital, comemorou a iniciativa, já que considera essa questão da aparência masculina ponto facultativo para os trabalhadores.

“A nossa instituição é de caráter civil, não militar, por isso não há motivos para proibir o uso da barba ou do bigode. O sindicato não vê nada de mais nesse sentido e faz coro para que guardas de outras cidades sigam o mesmo exemplo”, disse Juliano Costa, ex-presidente do Sigmetro, em entrevista à Banda B na tarde desta quinta-feira (24).

De acordo com ele, o sindicato acredita que o uso ou não da barba não faz nenhuma diferença no dia a dia da instituição. “Desde que seja bem feita e não esculhambada, não tem problema. Assim como o agente não vai vestir o uniforme sujo ou maltratado. O serviço da GM não muda se o guarda tem barba ou não, não é isso que vai definir a competência e o trabalho dele”, completou Costa.

Ainda segundo ele, o mesmo acontece com a tatuagem, que é permitida desde que não seja ofensiva, inclusive em casos da Polícia Militar. O sindicato espera, agora, que a autorização da barba se expanda para outros municípios da Grande Curitiba. “Eu ouvi que os agentes de Colombo fizeram essa solicitação, só que ela foi negada. Lá eles ainda não conseguiram, mas esperamos que essa iniciativa se espalhe”, concluiu.