Um grupo de manifestantes realizou um protesto, na manhã desta segunda-feira (7), para defender o uso da hidroxicloroquina e da azitromicina já nos primeiros sintomas da Covid-19. Entre os alvos da manifestação estava o prefeito Rafael Greca, uma vez que Curitiba não adotou abertamente os medicamentos no protocolo da cidade.

PR – ATO-COMEMORAÇÃO-AO-DIA-INDEPENDÊNCIA-CURITIBA – GERAL – Foto: EDUARDO MATYSIAK/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Entre os gritos dos manifestantes, um chamava a atenção: “Não queremos a vacina, nós temos a cloroquina”.

As críticas também foram direcionadas à secretária municipal da Saúde Mácia Huçulak.

Desde julho, a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) recomenda que a hidroxicloroquina seja abandonada como forma de tratamento para a Covid-19, uma vez que podem trazer efeitos colaterais. Já a azitromicina é apontada como ineficaz em casos graves da doença, como apontado por estudo publicado na Lancet.

Além da Boca Maldita, a manifestação percorreu várias ruas do Centro de Curitiba em forma de carreata.