Um grupo de cerca de 20 ex-funcionários do OzzLab, que presta serviços no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie (HUEM), em Curitiba, acusa a empresa de não pagar verbas rescisórias após o pedido de demissão. Duas mulheres ouvidas pela reportagem nesta sexta-feira (16) alegam que saíram em agosto e no fim de setembro e até agora não receberam valores relacionados aos plantões, dias trabalhados e outros acumulados.

(Foto: EBC)

 

Procurado pela reportagem, o HMUE alega estar em dia com todos os compromissos junto ao laboratório e que se eventual irregularidade foi constatada a empresa será notificada e serão tomadas as medidas pertinentes. Já a OzzLab ainda não se pronunciou sobre a reclamação dos ex-funcionários.

Uma das funcionárias afetadas é Silvana Farias, que pediu demissão em setembro e até agora não recebeu as pendências rescisórias. “Como não estávamos contentes com algumas situações, uma parte pediu a conta e não recebeu nada. Nem sequer foi dada a baixa na carteira. Eu pedi demissão em setembro e até agora nenhuma posição do laboratório sobre isso, ficando um jogo de empurra e empurra”, destacou.

Segundo Silvana, o grupo procurou o Ministério Público do Trabalho (MPT) e uma ação judicial foi feita com o apoio do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Curitiba (Sindesc). “O sindicato entrou com essa ação para nos ajudar. O Evangélico alega que está em dia com as obrigações junto ao laboratório, que fica só dando desculpas”, lamentou.

Outra ex-funcionária prejudicada é Alcioneide Silva de Souza, que tem cerca de R$ 700 para receber junto ao laboratório. “Pedi demissão em agosto e a gente liga e eles só dizem que não têm dinheiro. Alegam que está faltando verba do Rio de Janeiro, mas o que eu tenho a ver com isso? Precisamos de uma solução”, disse

Posicionamentos

O Hospital Evangélico enviou a seguinte nota:

O Hospital Universitário Evangélico Mackenzie preza pela regularidade nas relações de trabalho e afirma que honra pontualmente as suas obrigações financeiras com o laboratório. Eventual irregularidade constatada será notificada e serão tomadas as medidas pertinentes.

OzzLab

Até o momento, o laboratório OzzLab não se manifestou sobre a reclamação das ex-funcionárias.