O prefeito Rafael Greca sanciona nesta sexta-feira (20) a lei que restringe a queima, a soltura e o manuseio de fogos de artifício em Curitiba. A principal mudança é a proibição do uso de fogos de artifício com efeitos sonoros. Os artefatos luminosos seguem permitidos na cidade.

Foto: SMCS

Aprovado por 31 votos favoráveis e apenas dois contrários, o projeto da vereadora Fabiane Rosa (DC) visa principalmente a proteção de animais, que são os mais afetados com os artefatos. “Como é de conhecimento de todos, os ruídos e a conturbação causada pela emissão dos fogos de artifícios são extremamente danosos à fauna, sobremaneira à fauna silvestre que habita as cidades, mormente os animais considerados domésticos e domesticados, como cães e gatos. Há relatos sobre grandes bandos de aves que perdem a referência com os estouros dos artefatos pirotécnicos. E até mesmo com as luzes emitidas durante os espetáculos, que tem se caracterizado por implementos excessivos e cada vez mais agressivos e em locais inadequados. Os animais domésticos chegam a óbito por sustos e medo desenvolvido pela ação descabida e sem limite da população humana”, diz a justificativa.

Com a sanção, a lei entrará em vigor em um ano. Logo, para o Ano Novo de 2019 para 2020, os fogos ainda estarão liberados.

A assinatura da lei será feita durante a manhã, na Prefeitura de Curitiba.