Em entrevista à CNN, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), disse concordar com a preocupação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a economia, mas defendeu que no momento a prioridade deve ser evitar mais mortes pelo novo coronavírus.

Para Greca, a angústia do presidente com um possível colapso econômico é compreensível, mas a preservação da vida deve vir primeiro. “Lembro que os empregos só serão necessários se a gente estiver vivo”, afirmou. “Devemos preservar as vidas de depois buscar [uma solução] para os empregos, com serenidade, harmonia e amor, muito amor”, continuou.

Prefeito de Belém e prefeito de Curitiba – reprodução CNN Brasil

Greca foi entrevista ao lado do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB),  que considerou correta a preocupação de Bolsonaro,  mas ressaltou que no momento as medidas mais necessárias são as para salvar vidas.

“Eu compartilho da posição do Rafael [Greca] e nesse ponto discordo do presidente. Acho que, embora a economia seja fundamental e os empregos sejam essenciais, nós precisamos garantir que, neste momento, as pessoas consigam subsistir e sobreviver essa fase da pandemia”, opinou.

Greca descarta lockdown

Questionados sobre a possibilidade de implementar um lockdown – medida mais contundente por parte do Estado, que proíbe a população de sair de casa sob pena de prisão por expor a perigo a vida ou saúde de outrem –, em suas cidades, os dois, no entanto, apontaram para caminhos opostos, reflexo da situação das duas cidades.

Coutinho confirmou que Belém adotará esse confinamento a partir da quarta-feira (6). Ele disse que a medida gerará grandes transtornos e efeitos econômicos, mas que é necessária para que a estrutura de saúde dos municípios da região possa dar conta da demanda causada pela pandemia de Covid-19.

Já o prefeito de Curitiba disse que essa possibilidade não chegou a ser considerada para a cidade, onde a situação está mais controlada. “Trabalhei com o isolamento social com responsabilidade e 80% da população obedeceu. Agora, já estão meio cansados”, disse, explicando que no fim de semana 20 mil idosos circularam de ônibus pelo município.

Greca também ofereceu para o colega um um sistema de inteligência usado em Curitiba que é acionado pelo aplicativo WhatsApp e permite que a população passe por uma triagem sobre sua condição clínica até ser encaminhada para uma banca de médicos em uma teleconsulta.

“Num momento de lockdown, isso é importante. Pode salvar vidas, evitar idas a uma UPA [Unidade de Pronto-Atendimento], a um Pronto-Socorro. Ajuda a evitar o contato social”, disse Greca. Ele afirmou que o sistema será compartilhado com o governo de Belém sem qualquer custo.

Leia a matéria completa da CNN Brasil aqui