Após novamente pedir, no final de semana, que a Justiça determine a retirada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de Curitiba, o prefeito Rafael Greca voltou a protestar contra a permanência do petista no prédio da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida. Irritado, Greca colocou fotos nas redes sociais da aglomeração de manifestantes no entorno da PF neste 1º de maio, bloqueando a entrada e saída de vários moradores. Na postagem, o prefeito argumenta que o prédio  da PF não dispõe de alvará municipal para funcionar como presídio “por estar imerso em ZR3 – Zona Residencial com serviços, conforme a Lei de Uso do Solo de Curitiba”.

Greca diz ainda que “o erro e a responsabilidade são do Juizado”. “O erro e a responsabilidade são do Juizado. Até podemos compreender o fato histórico inusitado, sem precedentes na história do Brasil, mas os transtornos penalizam os curitibanos moradores daquele bairro tradicional. (Fotos de 1º de maio de 2018). A Lei Penal não prevê cumprimento de pena em estabelecimento penal? Não faculta que seja, por razões humanitárias, próximo donde moram os familiares do apenado? Minha revolta é de um Prefeito urbanista, desta Cidade com zoneamento urbano violentado pela decisão judicial. Curitiba não faz parte da Federação?Se tem Direito Urbano vigente, ele não vale para a Justiça Federal? Já se passaram mais de 20 dias. Até quando?”, pergunta Greca.

Mais tarde, com a hashtag #CuritibaSendoCuritiba, o prefeito voltou a tocar no assunto mostrando que horas depois do evento dos manifestantes na Praça Santos Andrade, tudo já estava limpo.

“Já estava quase tudo limpo meia hora depois do término do ato promovido pelo PT, PC do B, partidos aliados e Centrais Sindicais do Brasil. Os ônibus estão voltando para SP, SC e interior do PR. Vamos agora restaurar o rosto da Cidade amada. Não sai da minha cabeça que #SóDependeDaJustiça. Curitiba – e toda nossa gente – não pode cumprir pena junto com o ex-presidente. #BoaNoiteDoPrefeitoGreca”, disse.

Foto postada por Greca após as manifestações na Praça Santos Andrade