O prefeito Rafael Greca anunciou que Curitiba vai retomar a bandeira amarela a partir da próxima terça-feira (17). A confirmação foi feita neste sábado (15), durante prece do prefeito na Capela Nossa Senhora da Glória. Com a medida, a capital paranaense vai possibilitar uma abertura mais livre das atividades econômicas, desde que com o cumprimento dos protocolos de higiene. 

Reprodução

“Na terça-feira, nós vamos devolver a cidade à normalidade, ainda com cautelas sanitárias, mas já com a possibilidade do funcionamento pleno do comércio, dos shoppings centers, das academias de ginástica e de natação, das feiras livres”, disse Rafael Greca. 

A medida já era esperada desde a última sexta-feira (14). A secretária municipal Márcia Huçulak já adiantava que deveríamos ter “notícias boas” para a semana.  

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, a mudança na bandeira se dá por dois motivos: a redução na ocupação de leitos de UTI e a menor propagação do vírus. Neste domingo (16), a taxa de ocupação dos 355 leitos de UTIs do SUS exclusivos para covid-19 é de 85%. Já a taxa de replicação do vírus pela primeira vez baixou de 1, o que mostra uma tendência de queda na curva de casos. Na sexta-feira, a taxa ‘R’ era de 0,88. 

Segundo Greca, essa taxa mostra que a capital paranaense voltou a não ter um contágio intensivo. “A secretária de saúde ontem me comunicava: o pior já passou”. 

Boletim 

Neste domingo, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) confirmou mais 415 casos e 13 óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus. Com os novos dados, Curitiba chega a 805 mortes pela covid-19. A capital também registrou novos 415 casos da infecção, chegando a 27.210. 

Bandeira 

O sistema de bandeiras de Curitiba avalia nove indicadores, divididos em dois grupos: nível de propagação da doença e capacidade de atendimento da rede – cada um com peso de 50% na nota final de análise. 

A cor amarela significa situação de alerta, cujas notas variam de 0,01 a 1,99. 

Com a bandeira amarela, há uma expectativa de reabertura dos bares e menor restrição para restaurantes. Supermercados devem voltar a funcionar aos domingos, bem como shoppings podem ser autorizados a abrir aos fins de semana. 

Seguem proibidos de funcionas as atividades de entretenimento sonoro ou não, de forma eventual ou periódica, além de escolas e universidades. 

Confira a lista de atividades afetadas: