O Governo do Paraná autorizou oficialmente o retorno das atividades extracurriculares no Paraná a partir da próxima segunda-feira (19) e não descarta o retorno às aulas ainda neste ano. Com isso, escolas particulares de Curitiba e região metropolitana poderão receber os alunos, desde que respeitando as medidas de higiene: distanciamento de um metro e meio, máximo de 50% de alunos na escola, máscara para todos, álcool em gel e medição de temperatura.

Foto: Rodrigo Félix Leal/AEN

 

A princípio, as escolas estaduais de Curitiba e região metropolitana não retomarão as atividades na segunda, ficando a retomada na rede pública restrita às cidades do interior do Paraná, onde o índice de contaminação é menor. “As particulares podem reabrir a partir de segunda, com exceção a Foz do Iguaçu, já as púbicas estão autorizadas, mas vamos começar na rede estadual com 50 escolas em cidades em que a contaminação é baixa. Se der certo, podemos fazer o mesmo em Curitiba e região metropolitana, mas por enquanto seguimos sem previsão para esta região”, descreveu à Banda B o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder.

Secretário de Educação, Renato Feder, não descartou retomada das aulas ainda neste ano (Foto: AEN)

De acordo com Feder, a retomada que deverá acontecer para Curitiba e região, especialmente nas particulares, se dá pela baixa nos índices de óbitos e contaminação. “Com estes números, o Governo do Paraná decidiu autorizar o retorno das atividades extracurriculares, como aulas de artes e reforço escolar, desde que sejam seguidos todos os protocolos de higiene e saúde“, ponderou.

Questionado sobre uma possível liberação da retomada das aulas ainda neste ano, de forma híbrida (parte presencial e outra online), o secretário de Educação afirmou que isso não pode ser descartado. “Difícil a gente responder, mas a medida que a pandemia está sendo controlada, isso faz com que tenhamos uma curva em queda. O próximo passo é o retorno as aulas, mesmo que perto do mês de novembro, desde que seja seguro”, ponderou.

Por fim, o secretário lembrou que, apesar de uma possível retomada das aulas, nada muda com relação ao calendário escolar. “Não muda. As aulas vão até 18 de dezembro, independente de serem remotas, retornando dia 18 de fevereiro”, concluiu.