Dois golpistas vestindo jalecos e crachás falsos fingiram ser da equipe de Saúde de Curitiba para entrar na casa de um casal de idosos, morador do Conjunto Itatiaia, na Cidade Industrial de Curitiba. Os dois andaram pela casa das vítimas, também pelo terreno e foram embora levando apenas o celular de um deles, que estava em cima da mesa. Câmeras de segurança da vizinhança registraram o momento em que os golpistas estacionam o carro e desembarcam (assista ao vídeo abaixo). A Prefeitura de Curitiba afirmou que não há registros de visitas nesse local e orientou a população a se certificar sobre agentes de endemias por meio do 156.

 

Carro preto estaciona na rua da casa dos idosos e uma mulher desembarca depois de alguns minutos. Foto: Reprodução vídeo

 

A casa dos idosos, que tem 69 e 70 anos, fica na rua Cidade Gaúcha, próximo a um colégio estadual. Segundo a filha do casal, Elianai Sampaio, os pais já tinham recebido, no portão, um jovem pesquisador, no início da semana.

“Meu pai disse que na segunda-feira um homem foi até a casa deles para fazer uma pesquisa. Ele respondeu, foi breve e pronto. Mas, na quarta-feira, um carro preto estacionou quase em frente a minha casa, eu moro a três casas dos meus pais, desceu uma mulher depois de algum tempo, foi até lá (casa dos pais) com um jaleco verde e um crachá escrito ‘Saúde’, dizendo que tinha que entrar na casa deles para ver os focos da dengue”, descreveu Elianai.

Segundo os pais de Elianai, a mulher insistiu sobre a entrada afirmando que precisava checar os focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti. “Ela entrou até a porta, minha mãe chegou a dizer que não era para deixar, mas meu pai ficou sem saber o que fazer. Essa mulher pediu para sentar, disse assim ‘vocês me emprestam o sofá para eu poder apoiar a prancheta para escrever?’. Meu pai ficou acoado, por ser mulher, já com mais idade, mais ou menos, 45 anos, deixou. Ela sentou, não sei se mandou mensagem para o cara que estava no carro, e ele foi lá também, com jaleco, crachá, se passando por médico. Assim que ele entrou, tirou o jaleco e pediu para ir ao banheiro”, relatou a filha do casal.

A idosa, moradora da casa, chegou a oferecer um café a golpista. “Quando o suposto médico saiu do banheiro, a mulher pediu para ir para a mesa porque não estava conseguindo preencher. Nisso, olha a ingenuidade da minha mãe, ela ofereceu um gole de café. Eles começaram a conversar e esse homem mostrou um líquido azul e disse que precisava colocar em vários pontos do terreno. Eles andaram pela casa toda, em praticamente todos os cômodos, lá fora, chegaram a elogiar a casa deles porque tinha jeito de casa de avó”, disse a filha.

Apenas quando o casal foi embora, é que a idosa percebeu que o celular dela, que estava em cima da mesa, tinha sido levado pelos golpistas. A filha contou ainda que havia uma Kombi em frente a casa dos pais e que, talvez, os golpistas não encontraram nada de valor alto para poder efetivar o roubo.

Prefeitura

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba e foi informada que não houve nenhum registro de visitação dos agentes de endemias do Distrito Sanitário da CIC na rua da casa dos idosos. Ainda, afirma que todo agente pode ter sua identificação confirmada por meio do 156.

Segue nota na íntegra, enviada à Banda B:

“A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa que os agentes de endemias do Distrito Sanitário da CIC não estiveram na Rua Cidade Gaúcha no dia 29 de julho deste ano. Todas as vistorias são mapeadas e registradas em relatório.

A SMS lembra que, devido à pandemia do novo coronavírus, os agentes que fazem o trabalho de combate à dengue não entram mais nas casas, restringindo o trabalho ao terreno. Também não usam nenhum produto de coloração azul.

A população deve observar a roupa do agente, que usa camiseta azul clara, boné, calça e jaqueta azul marinho. Todas as peças, assim como o crachá de identificação, levam a logomarca da Prefeitura de Curitiba.

Em caso de dúvida, é possível pedir a identificação do profissional e ligar para o telefone 156 para checar se ele é um agente de endemias. A Central 156 tem a lista de todos os profissionais”, finaliza nota.

Vídeo

Assista ao vídeo registrado por câmeras de segurança dos vizinhos, que mostra a mulher desembarcando do carro: