O guarda municipal (GM), Frasson, aparece em um vídeo publicado nesta sexta-feira (3) que diz ter constatado desde o início desta semana um aumento de pessoas circulando pelas ruas da região central de Curitiba. Na sequência, ele pede que a população fique em casa e respeite as orientações do Ministério da Saúde.

“Desde o início desta semana até esta sexta-feira, constatamos um aumento considerável de pessoas circulando na região central da capital. Pedimos que, se possível, fiquem em suas casas e apenas saiam se for estritamente necessário e sigam os hábitos de higiene recomendados pelo Ministério da Saúde”, pede o GM.

Índice de isolamento social

De acordo com o dado mais recente, levantado nesta quinta-feira (2), por uma tecnologia de geolocalização que aponta o nível de isolamento das pessoas nos Estados do Brasil, o Paraná é o estado do Sul com menor índice de isolamento social. 58,2 % dos paranaenses estavam em casa, segundo o software.

Criado pela Inloco –uma empresa de Recife (PE)–, o software consegue mapear o comportamento de um indivíduo por meio de sinais de dispositivos de rede sem fio conectado a celulares. Os dados mapeados pela Inloco mostram que a média nacional de pessoas que têm cumprido o isolamento é de 58,9%.

As unidades federativas onde a população fica menos em isolamento são: Tocantins (51,23%) e Roraima (53,07%).

Já onde há mais isolamento são Goiás com 65,03% e Distrito Federal com 62,52%.

Veja o MAPA COM CADA ESTADO AQUI

 

Como funciona a tecnologia

Para identificar as regiões onde as pessoas têm cumprido ou não o isolamento decretado pelos governos estaduais, a tecnologia estuda o comportamento da população por meio de sinais de dispositivos de rede sem fio conectados a celulares. A precisão média é de 3 metros.

“É uma tecnologia nova que é mais precisa que o GPS, que se comunica com satélites e consegue calcular a posição de uma pessoa na terra baseada nessa comunicação com o satélite. Essa tecnologia se comunica com dispositivos mais próximos de uma pessoa. Então, em vez de usar satélite, a tecnologia se conecta com antenas de wi-fi e bluetooth. A tecnologia lê os sensores e consegue fazer uma impressão digital para o local”, explicou André Ferraz ao Portal Poder 360.

Segundo Ferraz, o índice de isolamento de 1 indivíduo é observado a partir do nível de vezes que ele se desconecta do dispositivo de rede. A tecnologia, depois de ter identificado o local no qual o indivíduo mora, consegue evidenciar quando ele sai de casa.

“Essa tecnologia consegue aprender, com base no local em que você mais passa tempo durante a noite, que aquele local é a sua casa. A partir disso, a gente consegue mapear o percentual de pessoas que, em uma determinada região, saíram de suas residências”, explica.