Um funcionário da Cavo, empresa responsável pela limpeza pública de Curitiba, entrou em contato com a Banda B nesta quarta-feira (25), para reclamar da falta de cuidados que a empresa estaria tendo para evitar a proliferação do novo coronavírus. Os empregados estariam sofrendo com a falta de sabão para lavar as mãos e com aglomerações no refeitório e vestiário da empresa.

Foto: Luiz Costa/SMCS

“Há uma aglomeração na parte da manhã naquele vestiário com cerca de 200, 300 pessoas. Não há ventilação, nem nos fornecem máscaras, álcool gel ou sabão para lavar as mãos. Eles não estão ligando para a nossa saúde, da nossa família ou de terceiros”, disse o funcionário da Cavo que preferiu não se identificar.

Empresa

A coordenadora de Operações da Cavo, Kelly Sayuri Nozu, afirma que a empresa tem adotado todas as medidas necessárias para cuidar da saúde de seus colaboradores. “Nosso time da área operacional, além do uso de equipamentos individuais de proteção, tem à disposição itens de higiene para as mãos e são constantemente orientados quanto as medidas para evitar o contágio e proliferação da doença. Também providenciamos o afastamento de idosos”, disse a coordenadora da empresa.

O home office também é outra medida adotada pela Cavo para a maioria dos profissionais da área administrativa. “Estamos mantendo apenas alguns colaboradores em esquema de revezamento nas unidades”, completou Kelly.

A Cavo afirmou ainda que segue trabalhando em meio à pandemia para garantir a manutenção de seus serviços e o cumprimento de todos os seus contratos firmados.