Foto: Colaboração/Banda B

Cinco filhotes recém-nascidos foram encontrados ‘mamando’ em uma gata morta, após ela ter sido envenenada na noite desta quinta-feira (7), no bairro Portão, em Curitiba. A ONG Força Animal foi até o local e resgatou os animais após uma denúncia.

“Uma pessoa nos mandou uma solicitação de ajuda pedindo para recolher esses gatinhos. O cenário era muito triste, a mãe realmente foi ‘assassinada'”, afirmou Danielly Savi, presidente da ONG.

Grupo Força Animal é conhecido por realizar resgates nos piores tipos de situação, como animais abusados sexualmente, esfaqueados, baleados, abandonados, confinados ou muito doentes. “Nós já socorremos cachorros que estavam amarrados na linha de trem, e tiramos gatos de pessoas acumuladoras, que estavam comendo uns aos outros e nunca tinham visto a luz do sol”, comentou a presidente da ONG.

No caso desta quinta-feira, no bairro Portão, os cinco gatinhos foram prontamente recolhidos e encaminhados a uma gata da OGN, recolhida em período de lactação. “Eles estão sendo amamentados com mamadeira e com a ajuda de uma gata resgatada que estava prenha, revezando a amamentação”, conta Savi.

“Mas, mesmo assim, eles precisam de suplementação alimentar. A equipe veterinária indicou um leite chamado ‘Pet Milk’ que vende em aviários e pet shops, mas precisamos de ajuda para comprar. Nós não temos praticamente nada para os animais da ONG hoje, então precisamos de ajuda”, disse a responsável pela Força Animal.

Aqueles que puderem auxiliar a ONG, seja com ajuda financeira ou de utensílios, como mamadeiras, cobertas e rações, podem entrar em contato pelos telefones (41) 99686-2884, (41) 99887-0463 ou 99777-9779, assim como realizar depósitos bancários na seguinte conta:

ITAÚ AG: 0273 CONTA: 35559-4
TITULAR: ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE GRUPO FORÇA ANIMAL
CNPJ: 29.682.985/0001-64

Em casos de denúncias de maus tratos contra animais, o denunciante pode comparecer à Delegacia do Meio Ambiente de Curitiba. “O envenenamento e o mau trato são consideramos crimes, é bom ressaltar isso. Infelizmente, nessa situação, não descobrimos o crimonoso, mas todos os casos em que descobrimos o autor do crime, ele foi responsabilizado na Delegacia do Meio Ambiente”, disse Danielly Savi.

A ONG afirma que os filhotes serão colocados para adoção após a castração, vacinação e alta veterinária.