A secretária municipal de Saúde de Curitiba, Márcia Cecília Huçulak, disse em coletiva de imprensa nesta terça-feira (2) que as manifestações que ocorreram ontem na capital preocupam e podem trazer um aumento no número de casos de coronavírus. O protesto contra o racismo aglomerou aproximadamente 1 mil pessoas, segundo informações da Polícia Militar (PM), e terminou em atos de vandalismo e com a intervenção das equipes policiais.

“Ficamos muito assustados e preocupados com a manifestação. Vamos medir isso daqui sete a dez dias, mas com certeza terá repercussão”, afirmou Huçulak.

(Foto: Reprodução)

A médica infectologista da secretaria, Marion Burger, também disse estar preocupada com o risco de transmissão do coronavírus entre manifestantes. “Infelizmente, a gente viu nas filmagens que muitos desses manifestantes estavam sem máscara e obviamente não estavam distantes o suficiente um dos outros. Então há sim risco da transmissão ter ocorrido ontem e a gente vai visualizar o resultado disso daqui duas semanas”, salientou Marion.

Boletim

A Secretaria Municipal da Saúde registrou nesta terça-feira (2) mais dois óbitos de moradores de Curitiba com resultado positivo para covid-19. Com isso, são 52 mortes, desde o primeiro caso confirmado da doença na capital paranaense, em 11 de março.

As vítimas são um homem de 61 anos, ex-tabagista e hipertenso, e uma mulher de 76 anos, com histórico de neoplasia. Os dois estavam internados há duas semanas.

O boletim registrou ainda 29 novos casos de moradores infectados pelo novo coronavírus, totalizando até agora 1.158 confirmações de covid-19 na cidade.

Números da covid-19 em Curitiba

2.139 descartados
371 em investigação
1.158 confirmados
924 liberados do isolamento
52 óbitos