Os proprietários e funcionários de centros esportivos de Curitiba estão preocupados com a situação do setor após os espaços estarem proibidos de funcionar há seis meses em razão da pandemia do novo coronavírus. O decreto municipal, que foi prorrogado por mais 15 dias na última sexta-feira (8), manteve a suspensão de atividades em espaços de práticas esportivas coletivas.

Foto: Reprodução

A proprietária de centros esportivos e secretária-geral da Associação Paranaense dos Centros Esportivos, Deise Correa, afirmou em entrevista à Banda B nesta segunda-feira (11), que o cenário está insustentável e muitos estabelecimentos estão sendo obrigados a fechar as portas. “O nosso setor está em desespero. Os centros esportivos são terrenos grandes, em média, eles têm em torno de 10 mil metros quadrados, então você imagina o valor do IPTU. As lanchonetes nos centros são sustentadas pelo movimento que vem dos jogos, por isso estamos com as geladeiras desligadas e com produtos estragando. Está se tornando uma situação insustentável”, explica ela.

Para tentar driblar os riscos, a categoria chegou a formular um protocolo para um retorno seguro às atividades. Entre as medidas previstas, estão a disponibilização de álcool em gel em todos os ambientes, uso de máscara em locais de uso comum, mesas distanciadas nas lanchonetes, vestiários fechados e o não fornecimento de materiais de uso coletivo para os atletas como coletes e bolas.

“Quadras esportivas são espaços com mais de mil metros quadrados e ali dentro ficam 12 pessoas. No último decreto, foram permitidas 25 pessoas no mesmo ambiente e nós não fomos enquadrados nisso. Lembrando que o esporte é algo essencial para a saúde”, defendeu Deise.

Protesto

Em razão da prorrogação do decreto que proíbe o retorno dos centros esportivos, um protesto em frente a Secretaria Municipal de Saúde, a partir das 7h da manhã desta terça-feira (12), foi marcado. Eles exigem uma reunião com o Comitê da Saúde. “Já tivemos reuniões com vários secretários e todos dizem que o responsável pelos decretos é o Comitê da Saúde. Queremos tentar entender o porquê de as quadras de esporte, que são áreas tão grandes, serem locais de tanto risco para o contágio pelo vírus”, disse a secretária-geral da Associação Paranaense dos Centros Esportivos.

A ideia do grupo é se manter mobilizado em frente a Secretaria até que uma reunião seja marcada.