Foto de Laura, se recuperando em casa, postada pela família no Facebook – Reprodução

A menina Laura de Souza, de 8 anos, atropelada por um motociclista na Avenida do Batel no dia 7 de julho, junto com a tia, se recupera bem, em casa. A informação é da família de Laura, que postou uma mensagem de agradecimento nas redes sociais por todas as manifestações de apoio à menina. Laura recebeu alta do Hospital Pequeno Príncipe no último dia 24, após passar 17 dias internada.

No texto, publicado pela tia da menina, Vivian Baptista, a família fala da gravidade do acidente:

Como a Laurinha, minha sobrinha , ainda é muito pequena, mas mesmo assim ela já demonstra muita gratidão pelo milagre que recebeu de Deus e por ter a oportunidade de continuar a sua jornada aqui ao nosso lado… ela ainda não percebeu a gravidade pelo o que passou, e ainda não tem a capacidade de compreender a dimensão de tudo, de saber ao certo tudo o que ocorreu… então tomo eu a liberdade para tentar com algumas palavras expressar a gratidão que temos por todos que participaram nesse momento tão doloroso de nossa família!!

Vou contar uma história de anjos, os mais lindos que Deus e Nossa Senhora poderiam enviar nesse mundo todo, anjos esses, que estiveram aqui ao nosso lado, para que tudo saísse bem!!!

A história se ANJOS NA TERRA, sim eles existem e com certeza você está entre eles….“, diz num trecho da nota a tia da menina.

Ela fala em anjos que ajudaram Laura e a tia Adriana, atingidas no atropelamento. “.. e, em fração de segundos, as duas são atingidas brutalmente por uma moto em altíssima velocidade… a partir desse momento não lembram de nada, ficam no chão completamente machucadas e inertes…

És que o primeiro anjo lindo se manifesta, uma anjo chamado tia Adriana, tão querida, você protegeu a Laura, e não permitiu que ela fosse atingida por primeiro, mesmo ficando gravemente ferida, você foi um anjo lindo!!! Eu, rezei e continuo rezando pela sua recuperação e fico muito feliz em saber de cada progresso seu… e desejo que você volte logo para a casa e para a anjinha Luísa!!!

Ali, aparece o segundo anjo, um senhor carinhoso, de fala mansa que sem saber o que estava acontecendo, com o coração completamente partido começa a pegar os maiores amores da nossa pequena seus bonecos David e Rebeca, suas malinhas com brinquedos e a bolsa da tia Adriana… o anjo que tinha em seu bolso os telefones úteis para iniciar seu socorro… esse anjo é o senhor, vovô!!

Em seguida juntam-se ao local muitas pessoas de bom coração que também queriam ajudar a fazer alguma coisa…

As duas anjinhas iguais… duas irmã gêmeas.. que emprestaram o celular para ligar para o meu irmão e para minha cunhada.. e que seguiram até o hospital para saber como a Laura estava..

Os anjos que chamaram os resgates..“, conta a tia.

A família ainda agrade ce aos médicos do Hospital Evangélico e do Hospital Pequeno Príncipe e fala das piores horas no início do socorro: “Começa então as piores horas de nossas vidas, pois, não sabíamos se a nossa pequena iria sobreviver, se iria aguentar…  mas, o tempo todo os anjos estavam lá, vestidos de branco e outros de verde, cuidando de você para que tudo ocorresse bem.. as vezes eles vinham com um remédio, outras vezes com um abraço, uma palavra, um carinho… eram tantos anjos, que nem sabemos de onde eles apareciam muitas vezes…

E do lado de fora uma legião de anjos se formou, esses anjos são tão especiais quanto os do hospital… eles eram formados por nossos amigos, que incessantemente estavam ali, ao nosso lado dando forças, ligando, mandando mensagens, rezando, doando sangue, chorando e a todo momento traziam uma palavra de conforto… a vocês anjos especiais… só posso agradecer e agradecer… e pedir que Deus de em triplo o carinho, o amor, a fé que tiveram com nossa família.. quero um dia poder dar um beijo em cada um de vocês!!!”, diz a nota.

Recuperação

Após 17 dias internada, Laura saiu do hospital sem sequelas do acidente. A tia que estava com ela, a enfermeira Adriane Aparecida Melnik deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi transferida para um quarto do Hospital Cruz Vermelha na última sexta-feira (20). Ela permanece internada. Do acidente, ela não se lembra de nada, informaram parentes

Na terça (24), a mãe do motociclista Leonardo Fonseca, de 22 anos, que provocou o acidente, Angela Maria Brockveld, comemorou a recuperação das duas vítimas atropeladas. “Eu fiquei muito feliz com essa notícia da melhora delas, porque estamos rezando muito. Eu não quero ver o mal de ninguém, não queria que isso tivesse acontecido, estou sofrendo muito. Como mãe, ver tudo isso, está sendo muito difícil para mim”, afirmou em coletiva de imprensa.

Leonardo responde ao inquérito em liberdade, com o uso de tornozeleira eletrônica.

Notícias Relacionadas: