A ex-miss Curitiba, Bruna Pacheco, fez um apelo nas redes sociais para poder rever o filho. Ela e o ex-marido, Norberto Espindola Calliari, travam disputa judicial pela guarda do menino de dois anos, que está provisoriamente sob a guarda da avó paterna. Nas redes sociais, Bruna publicou nesta terça-feira (5) fotos das agressões de que teria sofrido de Norberto e criticou o Poder Judiciário pela demora em tomar uma decisão. A postagem ganhou intensa repercussão e foi compartilhada por centenas de pessoas. Diante do relato, a Banda B procurou o ex-marido, que afirma que foi esfaqueado por Bruna e que ela teria levado quatro meses para procurar o filho.

Reprodução

O conflito entre o casal teria começado há pelo menos cinco meses. Bruna acusa Norberto de fazer uso de entorpecentes e que esse seria o motivo do término da união estável entre eles, já que o ex ficaria muito agressivo em momentos assim.

À Banda B, Bruna encaminhou dois boletins de ocorrência registrados na Polícia Civil relatando que foi impedida de ver o filho, mesmo com decisão favorável da Justiça que a permite ver o garoto “convivência presencial materna das 9h das quartas-feiras às 9h das quintas-feiras, devendo retirar e devolver o infante na moradia da avó paterna bem como em finais de semana alternados das 9h do sábado às 9h da segunda-feira”.

Segundo a ex-miss Curitiba, a guarda foi definida por um “furo” na lei. “Depois que ele me expulsou de casa, eu fiquei com a babá cuidando do meu filho, mas ele [Norberto] ofereceu R$ 2 mil para que ela o levasse até ele. Fui ao apartamento e não consegui pegar [o filho], foi quando o Conselho Tutelar definiu a guarda para a minha ex-sogra, que tem 84 anos. Ele usa de tudo para me atingir, já que acredita que se eu ficar sem meu filho e sem dinheiro, eu vou voltar para ele”, alegou.

Além do menino de dois anos, o casal possui outros dois filhos juntos.

Outro lado

Diante da denúncia, a Banda B procurou Norberto, que negou as alegações de Bruna. O ex-marido acusa Bruna de tentativa de extorsão já que buscaria uma pensão maior que a do próprio filho.

Reprodução

“A Bruna me esfaqueou e isso vai ser julgado pelo Tribunal do Júri. A babá fugiu por causa da irresponsabilidade dela, já que  os outros meninos contaram que foram abandonados e sofreram maus-tratos, saiu até com indiciamento. Eu não falei antes para preservar ela, já que é a mãe dos meus filhos, mas é muito estranho uma mãe de três perder a guarda, é óbvio que tinha algo mal contado”, disse.

Sobre as visitas, Norberto acusa a ex de má fé. Segundo ele, por meses Bruna não teria procurado a Justiça para reaver a guarda e tomou a decisão apenas no período de recesso forense, para que assim a juíza que conhece o caso não fosse a responsável pela análise.

O caso segue tramitando na 2ª Vara de Santa Felicidade.