Há 15 dias, o médico Dalton Luiz Rivabem Júnior, de 48 anos, recebia do prefeito de Campo Largo, Marcelo Puppi, o título de cidadão honorário do município da região metropolitana de Curitiba, devido aos serviços prestados e milhares de vidas salvas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Rocio. Nesta terça-feira (14), está internado na mesma UTI que ajudou a criar, após ter se contagiado com a covid-19 e passar a ter sintomas mais graves da doença.

Dalton Rivabem e a família ao receber título de cidadão honorário (Foto: Divulgação)

 

Em entrevista à Banda B, o prefeito Puppi pediu que todos se unam em oração pelo pronto restabelecimento da saúde do médico. “Há 15 dias ele recebeu o título de cidadão honorário de Campo Largo, que é a maior honraria que se pode dar a uma pessoa aqui na cidade. O que mostra o quanto devemos a ele. Uma pessoa extraordinária e um dos mais brilhantes médicos do Rocio. Por ele, já passaram milhares de pessoas do Paraná inteiro, que conhecem o lado humano, carinhoso e a competência profissional dele. É o momento de todos nos unirmos em oração para a melhora do doutor Dalton”, afirmou.

Puppi lembrou que, sem Dalton, o Hospital do Rocio perde uma importante força de trabalho neste momento. “Parece que as pessoas não entenderam que não basta apenas abrir UTIs. É preciso de insumos e médicos, aqueles que sabem intubar na hora certa e tudo mais. Isso você não aprende do dia para noite. Você acaba perdendo estes profissionais pelo contato direto com o vírus devido ao aumento de casos”, ressaltou.

O prefeito ainda fez questão de destacar que vidas não se recuperam, mas a economia sim. “Nós temos que lembrar que não estamos em uma luta entre a vida e a economia. A vida é o principal bem, porque se você a perde, acaba tudo, já a economia você recupera. Pessoas tão próximas partindo e isso é muito triste”, disse o prefeito.

Prefeito Marcelo Puppi pediu orações pelo doutor Dalton Rivabem (Foto: Divulgação)

 

Por fim, Puppi também fez questão de parabenizar os profissionais de saúde pelos inúmeros casos de pacientes recuperados da covid-19.” A gente também fala das mortes, mas temos que lembrar dos casos recuperados, que são muitos, e isso graças à força de trabalho dos profissionais de Saúde que atendem a prefeitura, o Hospital São Lucas e do Rocio. Campo Largo também é uma cidade que devolve as pessoas à vida”, concluiu.

História

Formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 1998, Dalton Luiz tem um currículo extenso de serviços. Em 2000, após a perda precoce do seu pai, ele juntamente com o irmão Marcelo, também médico, perceberam a necessidade de criar em Campo Largo uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pois os casos de emergências e gravidades eram encaminhados para hospitais de Curitiba, fazendo com que muitos não tivessem tempo hábil para um atendimento eficaz, e acabavam perdendo suas vidas. Desde então ele exerce a sua função como diretor da UTI do Hospital do Rocio.

Outro grande marco do trabalho de Dalton ocorreu em 2017, quando atendeu Frankielen da Silva Zampoli, na época com 21 anos. Ela estava grávida de gêmeos quando teve uma hemorragia cerebral. A família e os médicos do Hospital Nossa Senhora do Rocio, decidiram mantê-la viva, mesmo depois da morte cerebral, para salvar os dois bebês. Foram 123 dias de luta para que as crianças tivessem possibilidade de se manterem vivos fora do ventre da mãe. O histórico parto jamais tinha ocorrido dentro da história da medicina, por se tratar de um longo período após a morte cerebral da genitora.