O motorista Claudio Alexandre Seroiska, que dirigia o caminhão envolvido na tragédia que deixou oito mortos na BR-277, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, prestou depoimento à Polícia Civil na manhã desta terça-feira (4). Na delegacia, ele reafirmou os problemas de visibilidade na rodovia e disse não acreditar que o acidente fosse evitável naquelas condições.

PR – ACIDENTE/PARANÁ/MORTES – GERAL -Foto: ERNANI OGATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

“Eu entrei como se você entrasse com os olhos vendados no escuro. Estava na faixa da direita, que é a destinada para caminhão e daí tudo isso aconteceu, não consigo mais descrever”, lamentou em entrevista coletiva após o depoimento.

Seroiska também garante que estava dentro da velocidade permitida para a via e que não passou por nenhuma sinalização da baixa visibilidade. “O tacógrafo apontou 75 km/h, então poderia ser um caminhão, um carro ou uma bicicleta naquela distância. Não tinha uma placa luminosa indicando nevoeiro ou incêndio, não tinha um batedor. Eu rodo por estradas concessionadas de São Paulo, Rio de Janeiro e muitos lugares trancam a rodovia, sendo que outros deixam um batedor indicando a diminuição da velocidade”, disse.

Para a Delegacia de São José dos Pinhais, uma fatalidade foi a causa do grave acidente que deixou oito mortos na BR-277. O delegado Fábio Machado acredita que Seroiska tomou todas as precauções necessárias para evitar a colisão. A visibilidade prejudicada, no entanto, é apontada como causa do acidente.

Concessionária

Assim, Machado quer saber o motivo de a concessionária Ecovia, responsável pelo trecho, não ter interditado a rodovia com a falta de visibilidade. “Vamos ouvir os representantes da concessionária que administra a rodovia para que também eles possam nos explicar por que no dia não havia batedores, já que a visibilidade estava muito baixa no local. Explicar para a gente porque eles não fecharam a rodovia para evitar esse tipo de acidente, como aconteceu ontem, por exemplo”, explicou.

O caminhoneiro tinha carregado o caminhão na sexta-feira (31), passou o fim de semana com a família e havia saído de casa, no bairro Cajuru, na noite de domingo, em direção a São Paulo.

Acidente

O gravíssimo acidente aconteceu por volta das 22h30 deste domingo (2), no quilômetro 77 da BR-277. Entre os veículos – um caminhão, cinco motocicletas, 15 carros e uma viatura da Polícia Militar (PM). Cerca de dez ambulâncias foram acionadas. Ao todo, foram 22 feridos no local e oito mortes.