A pequena Yasmin Dias da Silva, de dois anos, precisa de ajuda para enfrentar uma doença genética no fígado, que só pode ser curada por um transplante. Enquanto não encontra um doador compatível, ela realiza o tratamento no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. O estado paga as passagens de avião, mas todo o resto, como o deslocamento dentro da cidade, fica a cargo da família, que é bem humilde e não tem condições financeiras de arcar com os custos.

A mãe de Yasmin sempre a acompanha no tratamento realizado em São Paulo. (Foto: Arquivo pessoal)

“A Yasmin passou por um cateterismo no Sírio-Libanês e agora ela se trata durante todo o ano em São Paulo. Às vezes fica 20, 30 dias por lá, dependendo da recomendação médica… A pessoa que doaria o fígado para ela desistiu de última hora e, até fazer o transplante, a minha neta segue tomando um remédio bem caro. O estado ajuda com a passagem, mas mesmo assim é difícil”, contou o avô da garotinha, Vardeli Dias, em entrevista à Banda B.

Segundo ele, os custos com deslocamentos dentro da cidade, por exemplo, é bem alto. A família é moradora de Araucária, na região metropolitana de Curitiba, e precisa usar aplicativos de carona para ir até o aeroporto Afonso Pena. “Em São Paulo é a mesma coisa. Da casa de apoio onde a Yasmin fica até o hospital, quando não há carro disponível, às vezes nós temos que pagar R$ 70, R$ 80 em Uber. Da última vez, eu até ajudei, porque o marido da minha filha estava desempregado”, completou o avô.

Campanha para Yasmin

O soldado Ramos, da 2ª Companhia da Polícia Militar, do 17º Batalhão, ficou sabendo da situação da pequena Yasmin e, em conjunto com outros policiais, iniciou uma campanha para auxiliar a família.

“A menina estava bastante debilitada, com os olhos amarelos devido ao problema no fígado e os soldados se sensibilizaram com a causa. Nós arrecadamos um valor em dinheiro para a família e estendemos a campanha para todos os moradores de Araucária. A PM combate os crimes, mas também está aí para ajudar a população, promovendo a solidariedade”, afirmou.

Quem quiser ajudar a família da pequena Yasmin pode contribuir com doações em dinheiro ou de produtos de higiene pessoal, como fraldas, lenço umedecido e pomadas para assaduras. As doações podem ser deixadas na companhia da PM, que fica na Avenida Alfred Charvet, 633 – Boqueirão, Araucária. O telefone para contato é o (41) 3642-2768.

Para se curar, a pequena precisa de um doador de fígado, que tenha sangue O positivo – o transplante pode ser realizado com um doador vivo, em que apenas uma parte do órgão é doada.