Os empresários das indústrias do Paraná estão otimistas com o ano de 2020. O que revela a 24ª edição da Sondagem Industrial, pesquisa realizada todos os anos pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), que foi divulgada nesta terça-feira (10). Segundo o levantamento, os empresários estão confiantes na retomada econômica, o que pode garantir mais empregos para o setor.

Foto: Divulgação

Em entrevista coletiva, o presidente da Fiep, Carlos Valter Martins Pedro, afirmou que a geração de empregos na indústria é de mão de obra qualificada e em locais onde é possível fazer carreira. “A indústria é a maior pagadora de impostos ao governo. Automaticamente uma retomada de crescimento gera mais empregos, mais desenvolvimento e principalmente mais impostos. Nós precisamos modernizar, precisamos avançar, e todos precisamos buscar a confiança de dias melhores para o país”, disse.

Segundo o levantamento, 80% dos industriais do estado acreditam em um 2020 promissor, enquanto 5% estão pessimistas. Entre os otimistas, 70% preveem aumento das vendas de seus produtos, 57% esperam melhorias na conjuntura econômica e 49% apostam em abertura de novos mercados.

Gerente Comercial da Maxi Gráfica, Anibal Mesquita, comentou que 2019 foi um ano difícil, mas de retomada, o que dá essa confiança ao empresário. “Estamos investindo no constante treinamento de pessoal, importação de equipamentos, então acreditamos que 2020 será um pouco mais acelerado. Os números acusam essa retomada e o humor do mercado, na troca de conversas, acreditamos nessa alta. As reformas realizadas em Brasília são importantes e necessárias e tudo o que foi feito mostra que estamos no caminho da recuperação”, comentou.

Pesquisa

O resultado da pesquisa em 2019 ficou praticamente estável em relação ao ano passado, quando 81% dos consultados tinham uma percepção positiva com relação a 2019. No histórico recente da Sondagem, 2016 foi o pior ano, com apenas 33% de empresários otimistas. No geral, a mostra coletada representa 50,8 mil estabelecimentos industriais de todos os portes (micro, pequena, média e grande) e de 37 segmentos, que geram 765 mil empregos no estado.

Ao serem questionados sobre as estratégias mais relevantes para suas empresas, 52% dos respondentes apontaram que o desenvolvimento de novos negócios será a prioridade em 2020. Outros 42% pretendem aumentar o foco no cliente, e, 39% têm planos de incorporar novos produtos ao seu portfólio. O que chama a atenção é que as principais estratégias sinalizadas pelos empresários estão voltadas para a atuação no mercado. Também há uma preocupação com questões ligadas ao ambiente interno da empresa.

Os entrevistados demonstraram alto grau de insatisfação com relação aos pedágios do Paraná, à estrutura tributária e aos incentivos fiscais, fatores que impedem o desenvolvimento e a competitividade das indústrias do estado dentro e fora do país. A segurança pública foi outro ponto de atenção. É um problema sério apontado por 63% dos respondentes. Em contrapartida, 63% declararam estarem satisfeitos com seus fornecedores locais, e, 49% avaliaram de forma positiva a oferta de mão-de-obra especializada no Paraná.