Em meio à pandemia de coronavírus, o PolloShop do Alto da XV anunciou nesta segunda-feira (20) o encerramento das atividades comerciais. A administração do shopping enviou um comunicado aos lojistas para que possam se organizar e entregar suas lojas no prazo de 30 dias. Na nota, que viralizou no WhatsApp, os administradores comentam sobre a crise vivida desde 2014 e como o coronavírus deixou o setor ainda mais vulnerável.

(Foto: Divulgação)

 

“Os administradores do shopping informam que desde 2014 a economia brasileira vem sofrendo uma grande retração no consumo e aliada às mudanças do comportamento do consumidor, que nestes últimos anos promoveu a redução de fluxo nos shopping centers e no varejo em geral, fez com que houvesse um grande realinhamento (para baixo) dos valores de aluguéis no país”, inicia a nota.

Em um segundo momento, os administradores criticam a falta de negociação por parte dos donos do imóvel. “O PolloShop está sobre um imóvel de terceiros que, não só não aceitaram renegociar uma redução no valor na renovação do contrato, como ainda pediram aumento do aluguel do imóvel, obrigando a administração do shopping a entrar com uma ação revisional, que se arrasta na justiça há quase 3 anos”, explica o documento.

Ainda, os administradores comentam sobre como a pandemia da Covid-19 fez o problema ficar ainda maior. “Neste meio tempo, a direção do empreendimento tentou várias vezes buscar entendimento para um acordo, e agora com a crise estabelecida pelo surto da COVID19 com o fechamento dos shoppings e a suspensão dos pagamentos por parte dos lojistas a administração do empreendimento ficou impossibilitada de arcar com o alto valor do aluguel do imóvel. Mais uma vez foi pedida a redução dos valores ou a opção para os proprietários do imóvel assumirem a operação do shopping para preservar o interesse dos lojistas, mesmo com prejuízo dos sócios do empreendimento, mas não houve acordo”, aponta.

Para os lojistas, a direção do Pollo Shop afirmou que deu uma opção. “Como o relacionamento com os seus lojistas sempre foi pautada pelo respeito, pela ética e principalmente pelo apoio comercial, a direção do PoloShop fechou um acordo com os empreendedores dos Shoppings Jockey Plaza, Ventura Mall, Shopping Cidade e Shopping Jardim das Américas para receber os lojistas que quiserem dar continuidade a suas operações com uma carência temporária de aluguel”, conclui a nota.

Sobre o PolloShop

Com 25 anos de operação e fazendo parte da história de tantas famílias curitibanas, o PolloShop trouxe ao mercado da capital paranaense o conceito inovador de varejo orientado por valor, e por mais de 20 anos se consolidou como um empreendimento inovador e de sucesso absoluto que faz parte da história de muitos clientes. O posicionamento de opção inteligente e prática

para os clientes que buscam produtos com estilo, atitude e qualidade, aliados a preços mais baixos que os praticados em empreendimentos convencionais, conquistaram o público curitibano e renderam ao shopping importantes prêmios de vendas, marketing e publicidade ao longo dos anos.

A inovação sempre esteve presente nas ações do empreendimento. O PolloShop foi o primeiro shopping a trazer para o interior do empreendimento a árvore solidária de Natal, onde o cliente podia retirar um cartão com as informações de uma criança carente e presenteá-la. O projeto beneficiou mais 25 mil crianças e adolescentes. Criou também o Bazar Fashion que trouxe aos clientes diversas oportunidades ao longo destes anos para que o público pudesse realizar as compras com até 70% de desconto em peças de lançamento de estação. E junto com os benefícios oferecidos aos clientes, surgiu o Stúdio PolloShop, que além dos programas temáticos, trouxeram diversos desfiles ao vivo, com looks montados com peças das lojas do shopping. E por último, a criação de um portal especial com conteúdos sobre variedades que vão desde moda à atualidades mundiais.

O empreendimento contava com um mix de 220 lojas, distribuídas em moda feminina, masculina e infantil, acessórios, tecnologia, produtos para casa, presentes, papelaria, brinquedos, cafés e restaurantes.