Uma moradora de Piraquara, região metropolitana de Curitiba, que identificou-se como ‘terapeuta e naturalista’, disse em uma live na rede social Facebook que conseguiu uma receita milagrosa para o coronavírus. Ela participou, na noite desta segunda-feira, de uma transmissão em uma página de noticias da cidade, que tem mais de 18 mil curtidas, onde garantiu que Deus enviou a cura da covid-19 por meio de um descontaminante. A publicação fez com que a Prefeitura de Piraquara enviasse um ofício ao Ministério Público do Paraná (MP-PR), com o temor de que as pessoas acreditem e se intoxiquem com o produto.

(Foto: Reprodução Live Facebook)

 

No canal no Youtube, a mulher afirma que a receita veio de Deus e leva vinagre, água oxigenada, água sanitária e água. As pessoas devem tomar duas vezes ao dia, após a refeição, para assim evitarem a contaminação pelo coronavírus. Sem nenhuma comprovação cientifica e levando ao risco de intoxicação, ela esteve na live na noite desta terça-feira (12) para defender a receita. “Eu sequer uso a máscara, porque uso o descontaminante e a receita completa está no youtube. Eu recebi esta receita de Deus para combater o coronavírus e tratar quem pegar, para que a pessoa não tenha nenhum efeito da doença”, falou.

A live já teve mais de mil visualizações até a tarde desta quarta-feira e permanece no ar. A mulher ainda afirmou, durante a entrevista, que a receita veio durante um sonho. “Eu estava em uma noite orando, pedindo a Deus que eu fosse útil a sociedade. Então, amanheci uma manhã com a receita na cabeça e fiz as anotações, com as quantidades e tudo mais. Não tem efeito colateral e não vai fazer mal a ninguém, posso garantir”, disse.

“É crime”

A Prefeitura de Piraquara foi informada sobre o vídeo e imediatamente procurou o Ministério Público do Paraná (MP), como contou à Banda B a secretária municipal de Saúde de Piraquara, Gláucia Buss Guimarães. “Quando a gente tomou conhecimento deste vídeo, já pensamos em várias atitudes com relação a isso. Uma pessoa que expõem um vídeo desse em rede social, orientado água sanitária, vinagre e água oxigenada, está praticando um crime. A pessoa que tomar pode ter uma intoxicação séria e levar até ao óbito”, lamentou.

A secretária fez questão de ressaltar que a população não pode nunca acreditar neste tipo de cura milagrosa. “A gente faz um apelo para que as pessoas só utilizem as fontes oficiais para ter as informações necessárias. Temos todo um sistema de saúde e o disque covid para o tratamento de sintomas (3590-3722). Em um momento de fragilidade, as pessoas fazem isso para se promover e aquelas menos instruídas podem acreditar nisso”, disse.

“Preocupação”

O vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Paraná, Wilmar Mendonça Guimarães, afirmou que é assustador pessoas divulgarem este tipo de falso tratamento. “Existe previsão no Código Penal de que pessoas que exercem curandeirismo podem ser presas. A senhora deste vídeo, dá para se ver que tem limitações culturais, mas ela dá o endereço e propõem tratamentos, como se recebesse uma cura de Deus, o que pode causar um grande dano”, ressaltou.

Mendonça fez questão de destacar que o coronavírus não tem cura e que, infelizmente, muitas informações acabam confundindo as pessoas. “Se fala hoje da cloroquina, amanhã da azitromicina e semanas depois vem estudos mostrando que não é uma pratica adequada. Isso vem acontecendo muito, porque é uma doença nova e sem uma cura. As pessoas acabam buscando uma solução, porque a doença é grave e com mortalidade elevada no grupo de risco”, concluiu.

Os cuidados reais, sem uma cura ou tratamento 100% efetivos, são a higienização das mãos e o isolamento social. O resto é pura fantasia.