(Fotos: Flávia Barros – Banda B)

 

O sistema de transporte coletivo de Curitiba recebeu 52 novos ônibus na tarde desta quinta-feira (24). Entre eles, 33 são do tipo micro especial e 19 são intercambiáveis, que podem operar na categoria alimentador ou convencional.

A entrega foi realizada pelo prefeito Rafael Greca (PMN) no estacionamento do Parque Barigui. Durante coletiva, ele afirmou que deve completar a renovação da frota, acordada no fim de 2017, e ressaltou que ainda não há nada definido sobre o preço da tarifa.

“Com os 52 ônibus que entram hoje, eu retomo a minha promessa de renovação da frota. Já sabemos que teremos mais 40 na primeira quinzena de fevereiro e será assim até completarmos esse trabalho”, disse ele.

Sobre o aumento da passagem, o prefeito declarou que não há nenhuma atualização desde a reunião que teve com o  governador Ratinho Júnior (PSD) na terça-feira (22). “Essa conta está sendo construída pela Urbs, em parceria com a Comec [Coordenação da Região Metropolitana], a Secretaria de Estado da Fazenda e do Desenvolvimento Urbano. O que nós queremos é buscar qualidade com o menor aumento possível”, completou.

O presidente do Sindicato das Empresas do Transporte Coletivo (Setransp), Maurício Gulin, também seguiu o discurso de Greca. “A discussão sobre a tarifa começou agora, com a reunião entre o prefeito e o governador. Esse cálculo será feito do dia 1º a 25 de fevereiro e deve ter o menor impacto possível para a população”.

Reajuste para motoristas e cobradores

O período citado por Gulin é também a data-base dos motoristas e cobradores de Curitiba (Sindimoc), que já estão
organizando a campanha salarial de 2019. No ano passado, eles conseguiram reajuste de 2% no salário e um aumento de R$ 50 no vale-alimentação.

Questionado sobre a mobilização do sindicato, Greca se limitou a dizer: “O Centro Cívico está cheio de queros-quero. Tem gente que quer aumento e eu quero qualidade com preço justo”.

Nesta quinta-feira, os motoristas e cobradores realizam assembleias para debater a pauta de reivindicações.

Segurança

Os novos ônibus contam com monitoramento por câmeras, que têm como objetivo combater os crimes dentro do transporte coletivo. Durante a coletiva, no entanto, Greca voltou a falar sobre a bilhetagem eletrônica, que, para ele, é o único jeito de coibir a maior parte dos delitos. “A verdadeira segurança nascerá no dia em que o dinheiro desaparecer do sistema. A gaveta de dinheiro é atraso”, disse.

O Sindimoc, por outro lado, repudia esse projeto de lei e já realizou protestos para retirá-lo de votação na Câmara Municipal de Curitiba.