A cidade de Fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba, que tem se tornado um grande polo industrial, vai receber até o final do ano duas novas empresas. A Aramepar e a Rolt do Brasil já iniciaram as negociações e deverão se instalar na Rua Francisco Ferreira da Cruz (Parque Industrial) e Rua Mato Grosso (Parque Industrial Sul) respectivamente. A previsão é que ambas gerem em torno de 580 empregos: 500 Aramepar e 80 Rolt.

Prefeito Márcio Wozniack com representantes da Rolt do Brasil (Fotos: Divulgação)

 

Segundo o prefeito de Fazenda Rio Grande, Márcio Wozniack, apesar da pandemia que afeta a economia em 2020, as empresas seguem olhando para a cidade como uma grande oportunidade. “Pela nossa lei de incentivo fiscal e boa relação com os proprietários das empresas, isso tem nos ajudado muito. Estas duas empresas importantes confirmaram a instalação na nossa cidade mesmo com a pandemia, o que é muito importante para nós”, disse.

De acordo Wozniack, que também é presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec), mesmo com a Saúde como o principal foco no momento, outras áreas não podem ser esquecidas. “A pandemia vai passar e não podemos deixar de acreditar em um futuro melhor. Cuidar do nosso emprego, cidade e meio ambiente também são importantes neste momento, mostrando que as coisas vão melhorar”, destacou.

Wozniack deu mais detalhes sobre as novas empresas que chegarão à cidade. “A Aremepar, que atua na área de arames farpados e cercas, é uma empresa de São José dos Pinhais que vem para cá com investimento de mais de R$ 10 milhões. Já a Rolt é de Cianorte e fábrica peças para automóveis, trazendo um investimento de R$ 5 milhões. O morador pode ter certeza que logo teremos novidades e mais empresas chegando”, concluiu o prefeito.

Parque Industrial em Fazenda Rio Grande (Foto: Divulgação)

Retomada

A pandemia de coronavírus é uma realidade e tornou-se o principal foco das administrações públicas municipais, que precisaram aplicar recursos na área da Saúde, pensando em evitar um colapso do sistema. Apesar disso, como disse o prefeito de Fazenda Rio Grande, é preciso lembrar que, em breve, a retomada da economia acontecerá.

O economista e reitor da Universidade Positivo, José Pio Martins, relatou que o pensamento na retomada da economia
será diferente de cidade para a cidade, já que temos no Brasil 5.570 mil municípios com características diferentes. “Temos, por exemplo, 1,2 mil cidades com menos de cinco mil habitantes, que serão pouco afetadas. Já outras, que têm uma arrecadação de recursos federais e estaduais, devem sofrer mais”, disse.

Sobre Fazenda Rio Grande, o economista destacou que, por ter um compartilhamento com outras cidades da RMC e também a capital, ela tem uma característica de ter um comércio próspero. “Por isso precisa de boas avenidas, iluminação e lei de zoneamento que estimule a organização do comércio. A ideia é não parar as obras, poque a crise é grave, mas vai passar, a recessão também, mas vai passar. Você vai precisar se reorganizar, como um jogador de futebol que sofre uma cirurgia de joelho e muda a sua forma de se portar em campo”, concluiu.