Dois dias após os ventos fortes que causaram estragos em diversas regiões do Paraná, 16 mil casas em Curitiba ainda seguem sem energia elétrica. Os bairros mais afetados nesse momento, segundo a Copel, são: Bacacheri, Fazendinha, Cidade Industrial, Campo Comprido, Uberaba, Pinheiro, Alto da Glória e Bom Retiro.

De acordo com informações do balanço oficial da Copel, na manhã desta quinta-feira (2), na região metropolitana da capital, Campo do Tenente segue com 3 mil desligamentos e Rio Negro com 1,3 mil. Em Mandirituba e Quitandinha, as unidades sem energia diminuíram para 4 mil em cada município. São José dos Pinhais, que foi uma das localidades mais atingidas na RMC, está com 10 mil desligamentos (8% em relação ao total de unidades consumidoras na cidade).

No Paraná, são 140 mil unidades consumidoras aguardando o restabelecimento de energia – desde às 10h do dia 30 de junho, 1,8 milhão de unidades consumidoras foram alternadamente afetadas no Estado (38% do total de unidades consumidoras atendidas pela Copel).

 

Equipes da Copel estão nas ruas religando a energia – Foto AEN

 

As regiões Centro-Sul, Oeste e Leste permanecem em alerta vermelho por serem as mais afetadas. Elas concentram a maior parte dos desligamentos, com 83 mil unidades consumidoras sem energia na região que compreende Curitiba, Região Metropolitana e Litoral; 31 mil sem energia no Centro-Sul e 20 mil sem luz no Oeste.

Impacto da tempestade

O temporal que atingiu o Paraná nesta semana é um dos eventos mais graves já enfrentados pela Copel em relação aos danos causados na rede por conta de árvores e postes caídos. Muitas dessas situações demandam serviços complexos de manutenção, ou até mesmo a reconstrução de parte da rede elétrica. A previsão de religação varia caso a caso, de acordo com a dimensão das avarias provocadas pelo temporal na localidade em questão e do tipo de manutenção requerida.

A Copel alerta que, em situações com postes quebrados ou fios rompidos, é importante manter uma distância segura. Os desligamentos em circuitos de média tensão, que são os de maior extensão, são automaticamente identificados pela Companhia. Já a falta de luz em trechos menores e situações de risco devem ser comunicadas pelo cliente. A comunicação de falta de luz pode ser feita pelo aplicativo para celulares, ou enviando um SMS para o número 28593, com as letras “SL” e o número da unidade consumidora.