O diretor-geral do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran), Wagner Mesquita, disse que a unidade de atendimento da Rua João Negrão, no Centro de Curitiba, será fechada em breve. O anúncio foi feito durante entrevista ao programa Em Pauta, da Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp), na manhã desta quarta-feira (14). Segundo Mesquita, o valor do aluguel para uso do espaço é alto, mas a pandemia também provocou uma alteração na dinâmica de atendimento nos serviços ofertados pelo Detran.

O diretor-geral do Detran, em entrevista ao programa Em Pauta, da Associação das Emissoras de Radiodifusão Paraná (AERP), apresentado pela jornalista Juliana Sartori. Foto: Reprodução

“Durante o período de pandemia, a gente avaliou as contas de todo o nosso serviço presencial que é prestado através de 100 Ciretrans e 200 postos avançados no Estado. Em relação a Curitiba, a gente reviu as perspectivas e também percebeu que a grande maioria dos serviços prestados na João Negrão estão disponíveis online. Então, a necessidade de presença física deste posto caiu por quase 90%”, disse.

Segundo o diretor, a manutenção mensal custa cerca de R$ 80 mil no orçamento e, atualmente, o valor não tem mais justificativa. “Portanto, conversando com a área técnica, nós tomamos esta decisão de gestão de não renovar este contrato de locação que venceria agora”, disse ele, sem revelar a data do fechamento do local.

Atendimento Digital

A pandemia provocada pelo novo coronavírus foi um fator decisivo na alteração da dinâmica do trabalho do Detran, que voltou a trabalhar com o atendimento presencial em agosto deste ano. Mesquita citou, por exemplo, os bancos que também passaram por este processo e disponibilizaram a população mais caixas eletrônicos e totens de atendimento.

“Nós estamos trabalhando com um novo modelo de posto digital para oferecer o melhor serviço. Então, os 20 funcionários que existiam neste posto do Centro podem se transformar em 5 ou 6 postos de atendimento digital fazendo o mesmo trabalho. Mas, de uma forma muito mais econômica. Existe a possibilidade de abrirmos estes postos em shoppings e ruas da cidadania, ou seja, em locais onde a população já vai estar para facilitar o atendimento. Então, é uma questão de gestão e a população não vai ficar desassistida”, comentou o diretor.

Segundo Mesquita, a pandemia favoreceu o uso da cultura digital para realizar os trabalhos. “A cultura do agendamento favorece a todos. Ao consumidor e ao órgão. Então, a ideia é não perder isto. Mas, foi necessário ampliar os canais de comunicação. Portanto tivemos que aumentar a quantidade de serviços ofertados no aplicativo Detran Inteligente, no nosso portal, pelo número 0800 643 7373. Mas também estamos trabalhando em um canal de comunicação via Whatsapp que em breve deve ser feito o lançamento”, anunciou.

Gestão

Mesquita, que também é delegado da Polícia Federal (PF), assumiu a gestão do Detran em junho deste ano. Antes, ele ocupava o cargo de coordenador de Combate ao Crime Organizado da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça, trabalhando ao lado do ex-ministro Sérgio Moro. Além da novidade citada anteriormente, Mesquita também falou sobre os desafios e os resultados a frente da nova gestão que é feita neste órgão público.

Terceirização dos Pátios

O entrevistado afirmou que existem projetos específicos para a área de fiscalização do trânsito que são solicitações pessoais do governador. Como, por exemplo, a terceirização dos pátios. A ideia, segundo Mesquita, é permitir que a Polícia tenha um poder de fiscalização ainda maior ao ceder estes espaços ao poder privado.

“Hoje, o carro apreendido gera um passivo. A polícia vai lá, faz a infração de trânsito e adquire um passivo de 10, 20 veículos. Estes carros vão ficar custodiados sob a guarda deles, dentro de um Batalhão ou dentro dos pátios de Detran. Então, estamos num processo acelerado de terceirização. É um projeto estratégico, importante, que aumentará a prevenção e diminuir a quantidade de acidentes, além de uma liberdade aos órgãos de trânsito”, explicou.

Desafios

Com forte experiência na área de segurança pública, o delegado aproveitou o momento para traçar características e semelhanças das duas áreas para explicar o próprio método de trabalho.

“Sem o braço operativo na rua, as questões doutrinárias discutidas nos conselhos e a regulamentação dos conselhos e do trânsito, não têm reflexo para a população. A tutela da população é o produto final de uma gestão tanto na área de segurança pública como no trânsito. Isto tem sido muito gratificante para mim porque as ações tomadas têm reflexo imediato nesta área da política do trânsito”, destacou.

Por fim, o também ex-secretário Secretário Estadual de Segurança em 2015, ressaltou que o Detran já possui toda a estrutura para realizar o própria atividade fim. Ele garante que não está no cargo para ensinar aos colegas como fazer trânsito, mas para trazer noções gerais de gestão pública.

“Todo mundo depende o tempo todo, seja na questão da mobilidade urbana e da regulamentação das ações, diretamente ou indiretamente, do Detran. Hoje, o Detran já possui toda a estrutura para realizar as habilitações, infrações e tratar das questões dos veículos. A gente já identificou várias carências. Então, estamos tomando as providências para melhorarmos para dar a melhor condição de trabalho a área técnica e, consequentemente, melhor atender a população”, concluiu.

Vídeo

Abaixo, veja o vídeo da entrevista feita na Aerp na manhã desta quarta-feira (14).

Posted by Aerp Associação Radiodifusão Paraná on Wednesday, October 14, 2020