A defesa do homem, de 45 anos, preso por maus tratos aos animais, no dia 31 de agosto, no bairro Vista Alegre, em Curitiba, entrou em contato com à Banda B, nesta segunda-feira (14), para pedir direito de resposta sobre o caso. Em entrevista, a advogada do suspeito, Luíza Medeiros, rebateu as acusações e disse que seu cliente “não teve tempo para reformar a casa”, conforme pedido pela polícia, e que a verdadeira denúncia feita à Polícia Civil era por perturbação de sossego.

“Primeiro, que a denúncia não era de maus tratos, e sim, de pertubação de sossego. Então, foi esta a denúncia que ele – o delegado – alegou por primeiro. No dia 27 de agosto, o delegado foi com a equipe policial até a casa do meu cliente e viram que a casa estava sendo arrumada, pois havia algo em construção. Eles deixaram a notificação e deram aquela sexta-feira – dia 28 de agosto –  para o meu cliente arrumar tudo. Mas, no sábado e domingo, ninguém trabalha, né. Naquela manhã da segunda-feira, o delegado já voltou e recolheu todos os cães alegando maus tratos”, informou.

Luíza ainda revelou que o homem se mudou para a residência no mesmo mês e o cliente estava ciente das necessidades das melhorias. “Logo em seguida o pai do meu cliente faleceu, o que atrasou um pouco o início da reforma. Agora, a residência já foi toda reformada”, explicou.

 

 

Devido a isto, a advogada entrou na Justiça com uma medida cautelar para recuperar os cães. “A gente quer mostrar que eles nunca foram mau tratados. Temos relatos dos vizinhos da residência também que testemunharam o passeio que ele dava com os cães, todos os dias. São cachorros de raça. Todos possuem carteira de vacinação e plano de saúde”, completou.

Ameaças

Ainda segundo a advogada, a divulgação do caso teve repercussão nacional e, devido a situação, o homem passou a sofrer constantes ameaças de anônimos. “A gente está com medo. Tem pessoas de Minas Gerais e da Bahia nos ameaçando. Por isto, a gente pediu este direito de resposta”, revelou.

Motivo

Na época, a Polícia Civil informou à Banda B que havia feito duas vistorias em menos de uma semana na casa do suspeito, no bairro Vista Alegre, e deixado recomendações de melhorias para a condição de vida dos animais. No entanto, após a segunda checagem, o homem foi preso porque, no entendimento da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, os pedidos não foram cumpridos.

“Inclusive, quando o delegado chegou lá, a maioria deles estava dentro da casa, porque os animais dormem na cama com ele. A gente acha que o delegado pensou que o fato deles serem cachorros de raça, eles foram lá e não deram tempo para ele organizar a casa”, concluiu Luíza.

Casa

Veja como era a casa na época da vistoria feita pela Polícia Civil.

 

Polícia Civil

Em nota, à Polícia Civil informou à Banda B que o suspeito foi autuado em termo circunstanciado por maus-tratos e que o caso já está com a justiça, inclusive com audiência marcada.

Matérias Relacionadas