Na busca de tentar frear o expressivo crescimento da curva de Covid-19 na região metropolitana de Curitiba, o Governo do Paraná deve publicar decreto restritivo ainda nesta quinta-feira (3). O principal objetivo da normativa é evitar que aglomerações aconteçam neste fim de ano, mas deve também amparar medidas mais duras que venham a ser tomadas pelas prefeituras municipais.

Rodrigo Félix Leal/ANPR

De acordo com informações apuradas pela Banda B, o decreto deve suspender integralmente eventos no estado. A medida pode ser semelhante a publicada no decreto de bandeira laranja de Curitiba, que perde validade a partir desta sexta-feira (4). No decreto da capital, a Secretaria Municipal da Saúde suspendeu “estabelecimentos destinados ao entretenimento, a eventos sociais e atividades correlatas em espaços fechados, tais como casas de festas, de eventos ou recepções, incluídas aquelas com serviços de buffet, bem como parques infantis e temáticos”.

Apontando para os esforços para reduzir a concentração de pessoas, o decreto deve ainda restringir igrejas a 30% da capacidade máxima e suspender a prática de atividades esportivas em praças e demais bens públicos ou privados, estendendo a vedação a condomínios e áreas residenciais, incluindo a prática de futebol.

Fiscalização

Para a fiscalização, o Governo do Estado vai disponibilizar o efetivo da Polícia Militar. A corporação poderá agir de forma rígida em casos de descumprimento não só do decreto estadual, como em eventuais decretos municipais.

Medidas mais duras

O decreto é discutido em conjunto com o governador Ratinho Junior e com o secretário Beto Preto, mas municípios da região metropolitana de Curitiba podem publicar medidas ainda mais duras.

Em conjunto, a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) vai debater ainda nesta quarta um eventual ‘lockdown’ aos domingos, medida que já foi adotada anteriormente e é vista com bons olhos pelos prefeitos.