A Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) atualizou, na noite desta quinta-feira (27), os casos suspeitos de coronavírus no Paraná. Atualmente o Estado trabalha com seis suspeitas, sendo três em Curitiba, uma em Campo Largo, uma em São José dos Pinhais e uma em Ponta Grossa.

Foto: Agência Brasil

O Ministério da Saúde (MS) divulgou em coletiva realizada à tarde, que o Paraná possui cinco casos suspeitos. O caso de Campo Largo foi excluído da lista de suspeitos pela pasta. A Sesa discutirá com o MS os motivos que levaram a exclusão do caso, visto que apresenta sintomas que se encaixam na definição de suspeito.

Os suspeitos de Curitiba são: dois homens de 30 e 25 anos, que passaram pela Itália e Indonésia, respectivamente, e uma mulher de 25 anos que esteve na Itália. Todos estão em isolamento domiciliar.

Entre esses suspeitos, há um casal. Eles viajaram na primeira quinzena de fevereiro para a Itália, com histórico de passagem por Roma e Florença, e procuraram por atendimento médico em um serviço de saúde da rede privada, na noite desta quarta-feira (26). Ambos relataram ter febre, tosse, calafrios, problemas respiratórios, dor de garganta e coriza. No atendimento, informaram o histórico de viagem internacional.

No atendimento foi realizada avaliação clínica, com prescrição de medicamentos para tratamento dos sintomas, febre e dores. Também foi realizada a coleta de amostras para exames, que já foram encaminhadas para o Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen).

Após avaliação médica e identificação de estado de saúde estável, os pacientes foram orientados a permanecer em isolamento domiciliar voluntário. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) está monitorando diariamente a evolução do quadro de saúde.

Também foi solicitado ao casal que informe a relação das pessoas com quem tiveram contato próximo desde o início dos sintomas. Elas também serão monitoradas pela Saúde.

Outras cidades

Em São José dos Pinhais, uma mulher de 27 anos está internada. Ponta Grossa, uma mulher de 29 anos está em isolamento domiciliar.

O caso de Campo Largo, excluso da lista de suspeitos do MS, trata-se de uma senhora de 66 anos que passou pela Itália. A paciente está internada e a Sesa monitora o caso caracterizado suspeito pelo Estado.

A Sesa informa ainda que segue monitorando e orientando as unidades e secretarias municipais sobre os protocolos de atendimento e notificações de suspeitos, visando a atualização e tratamento imediatos da doença no Paraná.

É hora de reforçar os cuidados

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak ressalta que não há motivo para pânico no momento, mas, é importante o estado de alerta e reforçar os cuidados e a prevenção.

“Higienizar as mãos, usar lenço descartável, cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir, manter ambientes bem ventilados. São hábitos simples e que podem prevenir não só o coronavírus, como uma infinidade de outras doenças de transmissão aérea”, ressaltou Márcia.

Ela também reforça que pessoas com infecções respiratórias devem evitar aglomerações. “Seja qual for a infecção respiratória, se for possível evitem circular em locais de grande movimento”, complementa.

Estratégia de enfrentamento

Desde o início do ano a secretaria vem preparando serviços e profissionais de saúde para atuação em casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus. Até o momento, cerca de 800 profissionais de saúde da rede pública e privada de Curitiba já receberam treinamento em relação à nova doença, com orientações e fluxos de atendimento em casos de suspeita.

“As equipes e serviços de Curitiba estão atualizados e qualificados para o acolhimento e a assistência de pacientes suspeitos de contaminação”, esclareceu a secretária.

Para Márcia a experiência do enfrentamento da pandemia da Influenza A/H1N1 que surgiu em 2009, norteou o planejamento das estratégias de atuação de Curitiba.

“Já estabelecemos fluxos de atendimento, também já definimos serviços hospitalares de referência para os casos que possam necessitar de internamento. Agora trabalhamos com o reforço das informações e atualizações em relação ao que se sabe sobre o novo vírus”, conta.

Os documentos oficiais, fluxo de atendimento, ficha de notificação de casos suspeitos, notas técnicas e outras orientações sobre o vírus estão no site www.saude.curitiba.pr.gov.br.

A SMS também acompanha de maneira constante junto ao Ministério de Saúde e autoridades internacionais da área as atualizações sobre o vírus.

Como prevenir

O coronavírus pode ser transmitido de forma semelhante à influenza ou outros vírus respiratórios, pelas gotículas respiratórias, por tosse e espirros em curta distância, ou pelo contato com objetos contaminados pelo vírus.

  • Higienizar as mãos com frequência com água e sabonete líquido ou formulação alcóolica a 70%, principalmente antes de consumir algum alimento.
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal.
  • Cobrir nariz e boca (pode ser com o cotovelo ou com lenços descartáveis) quando espirrar ou tossir.
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, e sempre higienizar as mãos após tossir ou espirrar.
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos, garrafas, canudos, cigarros ou batons.
  • Manter ambientes bem ventilados, evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença.
  • Evitar contato próximo com animais silvestres e animais doentes em fazendas ou criações.
  • Pessoas com sintomas de infecção respiratória aguda devem praticar etiqueta respiratória (cobrir a boca e nariz ao tossir e espirrar, preferencialmente com lenços descartáveis e após higienizar as mãos).