Por determinação da Prefeitura da cidade, em menos de um mês (10/05) o sistema de EstaR Eletrônico, com o uso do cartão de estacionamento rotativo digital, será obrigatório. Com isto, os populares bloquinhos cairão em desuso.  

Segundo dados da Prefeitura de Curitiba, atualmente, são mais de 12 mil vagas disponíveis nas ruas de Curitiba que utilizam o sistema do EstaR no período de segunda a sexta, das 9h às 19h, e nos sábados das 9h às 14h.  

Para conseguir aderir ao novo modelo, os motoristas que seguem com a rotina, mesmo diante da chegada do coronavírus, terão que baixar o aplicativo Meu EstaR e se adaptar às novas regras.  

A primeira fase de implantação do Estar Eletrônico iniciou no dia 16 de março, quando os motoristas podiam utilizar tanto o bloquinho físico, como o EstaR no aplicativo. A Prefeitura ainda irá divulgar mais informações de como vai funcionar para os usuários que ainda têm o bloquinho de EstaR e desejam trocá-los por créditos do EstaR Eletrônico.  

 O que muda com o EstaR Eletrônico

– Uma das novidades é que no novo modelo os créditos serão fracionados de quinze em quinze minutos. No modelo atual, o motorista paga a hora cheia, mesmo se usar a vaga por período menor. Com o Meu EstaR, o usuário que usar menos de uma hora, por exemplo, terá o restante do tempo transformado em créditos para a próxima vez. 

 – O preço da hora passa de R$ 2 para R$ 3. Desde 2015, o EstaR não tinha o preço reajustado na cidade. Mas o fracionamento trará economia para o motorista. O preço para 15 minutos é de R$ 0,75.  

 – Além do celular, o motorista poderá comprar créditos em Pontos de Venda do comércio credenciados. Numa segunda fase de implementação, onde não houver comércio nas vias, Curitiba irá ganhar totens para compra de créditos. 

 – No EstaR Eletrônico, a regularização da infração por estacionamento irregular terá cinco dias úteis para ser feita, pelo site da URBS, e mediante o pagamento de R$ 30. Esse valor não será transformado em crédito. 

Como baixar o app Meu EstaR 

 Passo 1) Para baixar o Meu EstaR é preciso ir à loja virtual do celular e fazer a busca pelo nome Meu EstaR 

 Passo 2) Após o download do app – que é gratuito – o usuário já pode fazer o cadastro. Para pessoa física serão exigidos dados pessoais, tipo de pagamento (cartão de crédito ou boleto) e informações dos veículos. Não há limites de quantidade de veículos por usuário, porém, uma das regras é que por dia só poderão estacionar três veículos nas vagas rotativas.  

Se o seu caso for cadastro de pessoa jurídica, além dos dados da empresa e o tipo de pagamento, a grande diferença é que não há limite na quantidade de veículos estacionados.  

 Passo 3) Depois que a conta estiver ativa, já é possível comprar crédito no aplicativo. O usuário tem duas formas para fazer isso: 

* compra antecipada: compra de, no mínimo 15 cartões, de 1 hora cada. O pagamento pode ser feito via boleto bancário ou cartão de crédito. 

* compra e ativação simultânea: compra de no mínimo 1 cartão de 1 hora com pagamento via cartão de crédito. 

 Como utilizar o app meu EstaR 

 Para quem já baixou o app: 

 – Quando o aplicativo já estiver com saldo, o usuário seleciona o veículo que for usar (no caso de ter mais de um cadastrado) e depois escolhe se vai usar 1 ou 2 cartões para a vaga.  

 – Escolhendo o número de cartões, o carro já está habilitado para o estacionamento rotativo.  

 – O motorista poderá acompanhar em tempo real a vaga pelo app, que também enviará notificações de quando o tempo de estacionamento estiver acabando. Caso haja a possibilidade, o próprio app Meu EstaR vai sugerir prorrogar o período.  

 – Ao término da utilização da vaga o usuário deve sinalizar no aplicativo a liberação do espaço.

Sobre o App

André Pepino, diretor da IoMob, empresa curitibana que desenvolveu o app, conta que o motorista que baixar agora o Meu EstaR tem a vantagem de já se adaptar ao novo sistema e também de ser um aliado no combate à pandemia. A empresa vai reverter todo o lucro com a venda de créditos de Estar de 06 de abril à 10 de maio para a Santa Casa de Curitiba que está arrecadando fundos para comprar insumos e equipamentos de proteção para os trabalhadores do local e também para o Asilo São Vicente, instituição sem fins lucrativos que atende 150 idosos em Curitiba.  

 Não podemos nos isentar neste importante momento pelo qual todos estamos passando. Nós somos uma empresa de Curitiba que criou uma solução a cidade e também queremos ajudar neste momento difícil. Queremos salientar que a recomendação é de que as pessoas fiquem em casa. Porém, também sabemos que algumas pessoas precisam e continuam saindo para determinados afazeres. Desta forma, o Meu EstaR encontrou uma forma de ajudar a todos. Vamos ajudar arrecadando fundos para o combate à pandemia. Mesmo quem não vai sair de casa neste período pode baixar o app, comprar os créditos, participar da campanha e utilizar isso quando tudo voltar ao normal”, explica.  

 O empresário ressalta ainda que todo novo sistema traz consigo também algumas mudanças que requerem adaptação. Apesar deste modelo de Estar Eletrônico ser muito intuitivo, o conselho que damos é para a população já baixar o app Meu EstaR, fazer seu cadastro e já ir se familiarizando com este novo jeito de estacionar em Curitiba”, explica o diretor da IoMob.