As pancadas de chuva com granizo e fortes ventos do fim da tarde desta terça-feira (3) atingiram diretamente 440 pessoas, de acordo com informações da Defesa Civil de Curitiba.

Segundo relatório do município foram 13 os bairros mais afetados: Santa Cândida, Boa vista, Bairro Alto, Cajuru, Centro, Portão, Boqueirão, Alto Boqueirão, Tingui, CIC, Bacacheri, Atuba e Capão da Imbuia.

A atualização das informações mostra que, em Curitiba,  a precipitação provocou danos nos telhados de 79 residências, que fizeram solicitação para a entrega emergencial de lona. Esse atendimento é feito pelos guardas municipais.

Granizo no Tarumã nesta terça-feira – Colaboração

Vinte quedas de árvore foram registradas, nas regionais Boqueirão e Tatuquara. Até o momento, não há relatos de vítimas ou pessoas que precisaram deixar suas casas por conta dos estragos (desabrigados ou desalojados).

Equipes da Defesa Social e Trânsito, FAS e Meio Ambiente continuam mobilizadas para os atendimentos que se fizerem necessários e ainda podem ser registrados.

A temperatura em Curitiba caiu de 20ºC para 10ºC em uma hora, e a sensação térmica chegou a ser de zero grau durante a rajada de vento.

O que vem por aí

O meteorologista Samuel Braun, do Simepar, disse que não é possível descartar granizo para esta quarta-feira (4), em Curitiba e região, mas as chances são menores.

“Não podemos descartar completamente granizo na região de Curitiba nesta quarta, até porque este fenômeno é típico da primavera. Mas hoje a condição pra que isso ocorra é menor que ontem. Já nos Campos Gerais, a possibilidade não está descartada”.

Segundo Brau, a ocorrência de granizo é difícil prever. “Isto ocorre num tipo de nuvem chamada de cumulus nimbus, que provoca uma tempestade com altura muito grande, geralmente associada à possibilidade de granizo. As vezes, o granizo se forma, mas derrete antes de chegar ao solo. Ontem tivemos a formação de granizo a uma altura de 8 mil metros. E é difícil prever pois ocorre em um bairro e em outro não, por exemplo”.

Onde ligar

Em caso de emergência, o cidadão deve recorrer aos telefones 199 (Defesa Civil – alagamentos), 153 (Guarda Municipal – fornecimento de lona), 156 (Central de Atendimento ao Cidadão da Prefeitura – quedas de árvore) e 193 (Corpo de Bombeiros – resgate).