Cerca de 30 comerciantes das cidades de Morretes e Antonina, no litoral do Paraná, estiveram em frente ao Portal da Graciosa, próximo a BR-116, para protestar contra a decisão do Governo do Paraná que fechou a Estrada neste fim de ano. O bloqueio começou às 9h desta quarta-feira (30) e segue até o dia 3 de janeiro. Os manifestantes pedem a liberação do trânsito para as cidades do litoral por conta dos benefícios que a medida poderia trazer à economia local. A ação foi acompanhada pela Polícia Militar (PM).

 

Momento do protesto feito pelos moradores. A ação foi acompanhada pela Polícia Militar (PM). Foto: Reprodução

 

À Banda B, a dona de uma banca de artesanatos na região, Maria Letícia, disse que a diferença do movimento foi sentida logo nas primeiras horas desta manhã. “O movimento que estava bem parado se comparado com ontem. Para nós fica difícil ainda mais estocando mercadorias”. O sentimento é o mesmo da dona de uma lanchonete, Pamela Suelen. Em entrevista, ela reforçou que os comerciantes já haviam adquirido estoque de produtos para vender aos turistas.

“Está totalmente parado. É como se estivesse no começo da quarentena, quando as cidades e o Brasil ficaram travados. A gente comprou muita mercadoria e muita coisa está estocada”, completou.

Segurança

Ainda de acordo com Maria Letícia, os comerciantes da região estavam seguindo as regras sanitárias recomendadas pelas autoridades de saúde. “Nós temos os comércios nas vilas, mas todos usavam máscaras. As pessoas entravam e nós pedíamos, além de ter o álcool gel para higienização. Dentro dos comércios não existia muita aglomeração”, comentou.

A presidente da Associação de Moradores, Margarete Marcelino, reforçou que a ideia do protesto é ser pacifico para pedir a liberação do trânsito às cidades do litoral. “Nós estamos aqui em uma movimentação pacífica para pedir ajuda do Governo do Estado. O bloqueio está existindo e nós vamos ficar no prejuízo. Quatro dias, estamos pedindo ajuda para os governantes olhem com atenção esta situação”, concluiu à Banda B.

Vídeo

Motivos

Segundo o Governo do Paraná, a medida adotada em conjunto pelas Secretarias de Estado da Segurança Pública (SESP) e da Saúde (SESA), tem caráter preventivo tendo em vista o crescente número de veículos que circulam na região nesta época do ano.

Ainda de acordo com o executivo paranaense, também foi levado em consideração a análise da Defesa Civil sobre as atuais condições climáticas, com possibilidades de chuvas intensas nesta época do ano na região. Se ocorrer, pode haver enxurradas, alagamentos, tornando o trânsito perigoso na via.

Exceção

A medida, no entanto, não se aplica para veículos de emergência, veículos dos moradores dos municípios de Quatro Barras, Morretes, Antonina e Guaraqueçaba. Além disso, será permitida a passagem de veículos de entregas para moradores dos municípios da região, os quais deverão comprovar essas situações.

Matérias Relacionadas