Com um protesto solitário, Gema Santana fixou cartazes durante a manhã desta quinta-feira (16) para lembrar do acidente que matou o filho, João Fernando Fontana de Figueiredo. O jovem de 22 anos retornava de Foz do Iguaçu para Cascavel, em 17 de dezembro de 2019, momento em que acabou batendo de frente contra um caminhão. O acidente aconteceu no quilômetro 653 da BR-277, em Matelândia, mesmo local em que Gema decidiu agir e pedir ações que evitem com que mais mães percam os filhos.

Reprodução

Como no dia do acidente, a chuva não dá trégua na região nesta quarta-feira (16), mas Gema afirma que isso não pode a impedir. “Mesmo com o protesto e com a chuva, ninguém parou por aqui. Aparentemente, as pessoas estão enlouquecidas com a vida e isso a gente percebe na velocidade dos carros. Eu gostaria de tocar as pessoas, para que vivam mais o amor, como eu pude viver com o meu filho”, disse.

João era estudante de Agronomia, em Cascavel. No dia do acidente, o jovem retornava de Foz do Iguaçu para Cascavel e, segundo a mãe, estava muito feliz.

Gema protesta sozinha no local (Reprodução)

Gema pede que algo seja feito na rodovia para evitar com que mais mães venham a sentir a mesma dor que ela sente atualmente. “Se a rodovia fosse duplicada ou tivesse um melhor escoamento, ele não teria aquaplanado. Estar aqui é reviver aquele dia terrível, mas precisamos cobrar para que a BR-277 sensibilize alguém, uma vez que outras mães não podem viver isso”, concluiu.

O protesto começou pela manhã, mas Gema seguia no local durante a tarde. Na maior parte do dia, ela permaneceu sozinha no local, com apenas um apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF).