O restaurante dançante Toscana, um dos mais tradicionais de Curitiba, vai voltar a funcionar no próximo sábado (30). Fechado desde 14 de março por causa da pandemia, o estabelecimento irá reabrir com mesas no lugar da pista de dança e receberá apenas 85 casais para garantir o distanciamento entre uma mesa e outra.

(Foto: Reprodução/ Facebook)

O proprietário do local, César Zambom, explicou em entrevista à Banda B porque a pista de dança deve ser ocupada por mesas. “Tô querendo colocar umas quatro mesas ali pra não ter ninguém com vontade de dançar indo lá. Acredito que levantar e dançar apenas ao lado da sua mesa não seja problema, mas agora o restaurante vai ser um local mais para assistir a shows de músicos e outros artistas”, contou ele.

A reabertura acontecerá apenas no sábado e no Dia dos Namorados. A ideia é sentir como o público irá se comportar a esse novo momento do restaurante, antes de abrir definitivamente. “Vamos trabalhar só no sábado e no Dia dos Namorados para sentir como vai ser o movimento, se as pessoas realmente vão voltar”, afirma ele.

Novos tempos

O presidente da Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas), Fábio Aguayo, afirma que as casas noturnas estão buscando alternativas para voltar a funcionar. “Curitiba é a primeira capital que está reabrindo as casas noturnas com outras facetas. A nossa mobilização junto à Prefeitura foi para viabilizar o retorno dessas casas que têm dentro do seu corpo de alvarás outras atividades econômicas, como lanchonete, restaurante ou bar”, explica.

A Abrabar está orientando os estabelecimentos que querem voltar a funcionar respeitando as medidas exigidas pelas autoridades de saúde. “As casas noturnas que não têm alvará para funcionarem como bar, restaurante ou lanchonete vão ter que correr atrás, dar entrada na Prefeitura, mudar o contrato comercial e se adaptar aos novos tempos. Até que as coisas se acalmem, dança, shows com aglomeração, nada disso vai poder acontecer”, disse Aguayo.

Outro tradicional restaurante dançante que deve voltar a funcionar na capital, se adequando às orientações dos órgãos de saúde, é o Gato Preto, no Centro da cidade.