Curitiba pode começar a próxima semana com bandeira amarela. Com redução na taxa de ocupação dos leitos em hospitais e diminuição nos casos ativos da doença, a matemática pode garantir novo afrouxamento nas atividades econômicas a partir da próxima segunda-feira (17). A mudança na bandeira, porém, ainda depende da manutenção na taxa de ocupação nos leitos.

Foto: SMCS

Em live transmitida pelas redes sociais, a secretária municipal Márcia Huçulak informou que os números ainda não foram fechados, mas que parece que temos “notícias boas” sobre o assunto. “Ontem a gente estava fazendo um estudo sobre a taxa de replicação, o chamado R, e pela primeira vez em muito tempo, ele está em 0,88. Essa é uma notícia muito boa para a cidade, uma vez que a gente conseguiu baixar a taxa de replicação e isso reflete nos números divulgados durante a semana”, disse.

O R determina o potencial de propagação de um vírus dentro de determinadas condições. Cientistas apontam que, se ele é superior a 1, cada paciente transmite a doença para pelo menos mais uma pessoa, e o vírus se dissemina. Se é menor do que 1, há uma tendência de redução na transmissão.

Essa redução também já é observada entre os casos ativos da cidade. Segundo o boletim desta sexta-feira (14), 4.257 pessoas têm potencial de transmissão do vírus. Em 26 de julho, por exemplo, esse número era de 7.992.

Vale destacar que escolas e eventos de música seguem proibidos na bandeira amarela (Reprodução)

Ocupação em leitos

Nesta sexta-feira (14), a taxa de ocupação nos leitos de UTI do SUS exclusivos para covid-19 é de 85%. Segundo Huçulak, essa semana foi a “mais tranquila” que Curitiba teve em ocupação de leitos. “Nós nunca chegamos em uma situação de colapso, felizmente, mas essa foi uma semana com menos entrada de pacientes graves, o que é muito alentador após meses de pandemia”, concluiu.

Boletim

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) registrou mais 11 mortes de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus. Com os novos dados, Curitiba chega a 777 mortes pela Covid-19.

O boletim mostra ainda mais 490 casos do novo coronavírus em moradores da cidade. Até agora, 26.353 pessoas testaram positivo para a covid-19 desde o início da pandemia, das quais 21.319 pessoas estão liberadas do isolamento e sem sintomas da covid-19.