Os prefeitos da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) estiveram reunidos, nesta segunda-feira (16), durante o 31° Fórum Metropolitano e demonstraram preocupação com o aumento de casos de Covid-19 nos municípios. Em Curitiba, já são seis dias consecutivos com mais de 700 novos diagnósticos da doença.

Segundo o presidente da Assomec (Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba) e prefeito de Fazenda Rio Grande, Márcio Wozniack, o momento é de cautela. “Os números de hoje trouxeram preocupação, pois houve um significativo aumento de novas pessoas infectadas e com um perfil muito jovem, a maioria entre 20 e 40 anos de idade. Precisamos ter cautela, porque ainda é iminente o risco do coronavírus”, explicou Wozniack.

Wozniack durante o Fórum Metropolitano de Saúde desta semana (Foto: Divulgação)

 

Ainda segundo o presidente da Assomec, o entendimento dos especialistas é de que os números são resultado das aglomerações nos recentes feriados e no período eleitoral. A Prefeitura de Curitiba e o Governo do Estado já estariam reativando leitos para atender um possível aumento de casos graves.

O Centro de Operações de Emergências da Saúde (COE) do Paraná deve se reunir nesta terça-feira (17) para discutir novas medidas para evitar que a pandemia volte a se agravar no estado. “Eles vão se reunir terça e quarta deveremos ter algumas direções que devemos tomar para os próximos dias, tendo em vista esse aumento de pessoas contaminadas”, disse Wozniack.

Boletim

No acumulado de dois dias, domingo (15/11) e segunda-feira (16/11), Curitiba registrou 1.508 novos casos de covid-19 e dez mortes de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus, conforme boletim da Secretaria Municipal da Saúde. São cerca de 750 casos por dia, o mesmo número registrado na semana passada.

Até agora são 1.569 mortes na cidade provocadas pela doença. Com os novos casos confirmados, 60.856 moradores de Curitiba testaram positivo para a covid-19 desde o início da pandemia.

São 6.849 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus. O número se aproxima daqueles registrados no pico da pandemia na capital que aconteceu no mês de julho.