(Foto: Divulgação)

Acontece nesta segunda-feira, 05, às 17h30, no Museu Municipal Cristóforo Colombo – anexo ao Parque Municipal da Uva – o lançamento da Inclusão da Língua Italiana na Rede Municipal de Ensino de Colombo.

No primeiro momento, 14 professores – atuantes na Escola Rural Municipal João José Gasparin, no bairro Poço Negro – receberão aulas e treinamentos, para ministrar o idioma aos alunos da rede. “Vamos iniciar esse projeto com os docentes da escola da área rural do município, capacitando-os para que eles possam transmitir esse conhecimento aos pequenos”, disse a Prefeita de Colombo Beti Pavin.

Sobre o Projeto

O Projeto de Inclusão da Língua acontecerá principalmente nas cidades, onde a comunidade italiana é maior e mais tradicional de acordo com o consulado da Itália (Paraná/Santa Catarina). Lembrando que município de Colombo é a maior Colônia Italiana do Estado do Paraná.

“Mas logo queremos expandir para as outras escolas de Colombo a diversidade cultural e democratização do saber para os nossos alunos. Assim serão cidadãos com uma ampla visão e um vasto conhecimento cultural, além de poderem utilizar o idioma, para no futuro, arrumar emprego”, disse a Beti.

A iniciativa visa proporcionar cursos de capacitação e atualização aos professores do Sistema Municipal de Ensino em língua e cultura italiana para introduzir e manter o ensino de língua e cultura italiana de modo extracurricular nas Escolas Municipais, conforme o planejamento da Secretaria Municipal de Educação. A iniciativa é promovida pelo Centro de Cultura Italiana- Paraná Santa Catarina e o Consulado da Itália em parceria com a Prefeitura Municipal de Colombo.

“Houve uma pesquisa, junto ao corpo docente da Escola João José Gasparin e verificou-se a disponibilidade e o interesse destes professores em aprender a Língua Italiana e assumir as possíveis turmas. Neste primeiro momento serão 14 professores que serão formados”, explicou a diretora do Departamento de Cultura, Rita Straioto.

O objetivo do curso é fornecer ao professor/aluno o nível B1 do Marco Comum Europeu, com o qual será capaz compreender as questões principais, quando usado uma linguagem clara e estandardizada e os assuntos que lhe são familiares (temas abordados no trabalho, na escola e nos momentos de lazer, etc.).

Além de lidar com a maioria das situações encontradas na região onde se fala a língua-alvo; capaz de produzir um discurso simples e coerente sobre assuntos que lhe são familiares ou de interesse pessoal; de descrever experiências e eventos, sonhos, esperanças e ambições, bem como expor brevemente razões e justificações para uma opinião ou um projeto.

“Após a formação dos professores, a Secretaria de Educação definirá a melhor forma e como acontecerá o ensino da Língua Italiana, a princípio na Escola João José Gasparin, na sequência e na medida do possível nas demais escolas Municipais”, frisa Rita.


No tópico: RMC