O delegado Luiz Gustavo Timossi acredita que a morte brutal da psicóloga Micheli Kobelnik foi causada por ciúmes possessivos. Micheli foi morta pelo ex-companheiro, Andre Luis Perrinchelli Cavalheiro, na madrugada de terça-feira (29) em Ivaí, município na região dos Campos Gerais. O caso chocou a cidade e mobilizou as forças de segurança da região que procuravam André.

Foto: Arquivo Pessoal

As investigações da Polícia mostram que, após matar Micheli, André viajou até Ponta Grossa e deixou a filha do casal na casa de uma tia – ele foi encontrado morto no final da tarde de terça-feira (29) em um hotel na avenida Carlos Cavalcanti, na região de Uvaranas. “A nossa investigação demonstrou que ele era uma pessoa possessiva e não há um elemento concreto de traição por parte da vítima”, disse o delegado.

De acordo com o delegado, a Polícia procurava Andre na região de Uvaranas, já que informações do setor de Inteligência da Polícia Civil, davam conta de que ele estaria no bairro. “A Polícia Militar chegou a procurar ele [Andre] duas vezes no hotel, mas como entrou no local usando um chapéu, muito diferente do que estava na foto, acabou não sendo reconhecido pelos funcionários”, explicou o delegado.