O cenário de muitos acidentes no bairro Capão raso, em Curitiba, é o mesmo na maioria das vezes, garantem moradores da região. Estamos falando do cruzamento da Rua Madre Úrsula Ledochowska com a Rua Santa Regina. Na manhã desta sexta-feira (19), foi registrada mais uma colisão que deixou um casal ferido. Piloto e garupa de uma moto BMW 650 cilindradas foram encaminhados para o hospital após baterem contra um veículo Cobalt.

Acidente foi em cruzamento no Capão Raso – Foto Banda B

De acordo com informações apuradas pela Banda B no local, a moto vinha pela Rua Santa Regina, que é a preferencial, quando bateu contra o Cobalt, que vinha pela Rua Úrsula Ledochowska. A moto bateu na lateral dianteira do carro, que estava para entrar na preferencial.

Moto BMW envolvida no acidente – Foto Banda B

O piloto, de 32 anos, foi encaminhado ao hospital consciente, mas com ferimentos graves. Já a garupa, de 31 anos, sofreu ferimentos mais leves e também foi hospitalizada. Os dois não deram a versão deles pois estavam sendo socorridos.

A Banda B conversou com o motorista do Cobalt, um carro que usado por aplicativo. Acir Ribas disse que estava parado esperando para entrar na via quando foia tingido. “Faço Uber faz tempo e nunca me envolvi em acidente. Estava  para entrar quando veio a moto, muito rápido. Ele estava a mais de 70 km/h e bateu no farol, na parte da frente. Foi totalmente imprudente. Não tenho culpa, nem entramos na pista e ele bateu. Não dei embicada não”, afirmou.

A passageira, que estava no carro, sustentou a versão do motorista. “Ele se posicionou e não chegou a entrar na rua. Aí veio o motoqueiro em alta velocidade, muito rápido e só vimos pulando em cima da gente”, disse a passageira, Simone Silvestre.

Protesto

O cruzamento fica em uma área de pouca visibilidade para quem vem da Rua Madre Úrsula Ledochowska para entrar na Santa Regina. Segundo os moradores, acidentes são constantes e é preciso um redutor de velocidade ali.

“São vários acidentes quase todos os dias. Olha ali o muro do vizinho, tem marcas de outras batidas aqui. Já pedimos lombada, radar, algo que faça com que os motoristas diminuam a velocidade e nada acontece. Daqui a pouco é melhor abrir uma funerária aqui”, desabafou a moradora Maria Aparecida.