O caminhoneiro envolvido no acidente que matou o menino Vinícius Luis Neves Rodrigues, de quatro anos, prestou depoimento à Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba (Dedetran) nesta segunda-feira (18). À polícia, ele afirmou que prestou os atendimentos iniciais, mas que posteriormente deixou o local por medo de ser agredido.

Vinícius morreu aos 4 anos (Reprodução)

Vinícius foi atropelado pelo caminhão no bairro Caximba. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

De acordo com o delegado Leonardo Carneiro, a polícia está avaliando se o ocorrido foi uma fatalidade ou se o motorista pode ser indiciado. “Para nós, ele explicou que estava dando ré quando foi chamado por um vizinho e ficou sabendo do ocorrido. Como o caminhão é alto, o motorista afirma que não viu o atropelamento. Vamos agora verificar se foi uma fatalidade ou se ele agiu com imprudência, imperícia e negligência, o que poderia responsabilizá-lo por homicídio culposo”, disse.

O motorista disse ainda que permaneceu no local, mas foi embora por medo de ser agredido. “Ele buscou ajuda e por isso não foi preso em flagrante. Pelo que percebemos, ele só deixou o local após os ânimos se exaltarem”, concluiu.

A Dedetran segue investigando o caso.