Com a diminuição das chuvas nesta época do ano, os incêndios ambientais se tornam mais frequentes e as equipes do Corpo de Bombeiros têm atendido cerca de vinte ocorrências todos os dias para controlar o fogo em locais de vegetação em Curitiba e Região Metropolitana. Como exemplo, na tarde desta segunda-feira (29), um incêndio se espalhou por uma área rural entre Arvoredo e Jardim Israelense, em Araucária, trazendo prejuízos e colocando em risco a rede elétrica da região.

(Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros do Paraná)

De acordo com a tenente do Corpo de Bombeiros, Camila Mahmoud, o período de seca contribui para o aumento do registro de incêndios desse tipo que, na maioria das vezes, é ocasionado por ação humana. “Com o período de estiagem, os incêndios em florestas, matas e terrenos baldios acontece mais facilmente. Mas geralmente, esses casos são resultado de ação humana. Nós estamos atendendo de 15 a 20 ocorrências desse tipo por dia”, contou a tenente.

O descarte de bitucas de cigarro e outros materiais indevidamente é um dos principais causadores de incêndios em áreas de vegetação. “O descarte de cigarros e de outros materiais, fogueiras, aquele vizinho que quer se livrar do sofá e coloca fogo nele em um terreno baldio, ou até mesmo o descarte de um papel de bala, que pode funcionar como lupa, e com o sol batendo, podem ser a razão do surgimento do fogo que vai se espalhar e causar uma grande queimada”, explicou Mahmoud.

Uma testemunha do incidente em Araucária classificou como “criminoso” o incêndio e pediu a atenção do poder público para o assunto. “Isso aqui é um ato criminoso, onde estimamos que se perderam mais de 12 mil reais no fogo. Peço a atenção do poder público, da Defesa Civil e das autoridades para a nossa área”, disse ele.

Crime

Provocar incêndio em mata ou floresta é crime previsto em lei, com penalidade de dois a quatro anos de reclusão, mais multa.