Ricardo Fonseca obteve o maior número de votos na consulta da UFPR para reitor – Foto UFPR

O presidente Jair Bolsonaro nomeou na quarta-feira, 16, o professor Carlos André Bulhões Mendes como novo reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) para os próximos quatro anos.  Bulhões ficou em terceiro lugar na lista tríplice para reitoria da UFRGS enviada para análise presidencial.

A dúvida no Paraná é saber se o presidente irá fazer o mesmo na escolha do reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR). No dia 2 de setembro, em consulta pública, o atual reitor Ricardo Marcelo Fonseca obteve  83% dos votos válidos, diante da candidatura de Horácio Tertuliano Filho. Porém, a  nomeação,  depende de Jair Bolsonaro, uma vez que o nome de Horácio Tertuliano Filho também pode vir a compor lista a ser analisada pelo presidente. Tertuliano tem uma posição mais alinhada com Bolsonaro e chegou a declarar voto a ele nas eleições de 2018.

Como Tertuliano não retirou a candidatura, como de praxe em caso de derrota, o Colégio Eleitoral da Universidade Federal do Paraná (UFPR), decidiu suspender o processo de escolha do novo reitor, pelo menos até o dia 24. O prazo para envio da lista é 5 de outubro. até o dia 5 de outubro.  Os conselheiros querem mais informações sobre se é preciso enviar ao governo federal uma lista tríplice, se os dois nomes podem ser enviados, ou se é preciso um terceiro nome.

No país

Desde o início do governo, 25 reitores de universidades federais já foram escolhidos por Bolsonaro. Destes, 14 foram indicados sem liderar uma lista tríplice, conforme levantamento da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). É prerrogativa do presidente da República definir os nomeados para o cargo de reitor após envio da lista por parte da instituição.

Bolsonarista, o deputado federal Bibo Nunes (PSL-RS) já tinha antecipado a nomeação de Bulhões na semana passada. “O reitor foi escolhido dentro da lei, numa lista tríplice. Quem quiser nomear o reitor que faça 58 milhões de votos”, afirmou pela manhã ao Estadão.

Em 13 de julho, a chapa liderada pelo atual reitor, Rui Oppermann, venceu a disputa interna ao computar 45 votos. A candidata Karla Müller recebeu 29 votos e Carlos Bulhões apenas três. O mandato de Oppermann termina no dia 20.

O episódio é raro na UFRGS.  O último reitor nomeado, sem ser o mais votado, foi Gerhard Jacob em 1988.