O dia 3 de novembro de 2008 é emblemático na história recente do Paraná. Foi nesta data que a menina Rachel Genofre foi encontrada morta na Rodoferroviária de Curitiba, caso que ficou sem solução por quase 11 anos. Para lembrar da menina e também pedir o fim da violência sexual contra crianças, uma manifestação será realizada nesta terça-feira (3), na Boca Maldita, Centro de Curitiba.

Foto: Reprodução

Organizado pelo pai de Rachel, Michael Genofre, o manifesto pelo fim da pedofilia que propõe um pacto municipal entre Poder Público e sociedade civil.

De acordo com Michael, agora que o assassino está preso e aguardando julgamento, é preciso envolver mais pessoas para que as medidas para acabar com o abuso sexual infantil avancem. O pacto é para que as pessoas se conscientizem, exijam e tomem medidas em toda a sociedade, e também o Poder Público, para prevenir a pedofilia e para dar apoio e pleno acesso à justiça para as vítimas.

De acordo com os dados do Sistema Nacional de Atendimento Médico (Sinam), uma criança é vítima de violência sexual em Curitiba a cada 14 horas e meia.

O acusado de matar Rachel Genofre está preso em Curitiba e aguarda a data do julgamento. Sobre o assunto, Michael diz: “Houve a audiência de instrução e agora estamos pedindo celeridade da justiça para que o julgamento seja marcado.”

O ato está marcado para acontecer a partir das 11 horas.