Logo após a fatalidade que fez o cozinheiro Wesley Pontes, de 38 anos, perder a mão na explosão de um sinalizador, na tarde de ontem no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, ‘justiceiros da internet’ sacramentaram: “Para que levar um sinalizador no aeroporto?”. “Deveria estar trabalhando”. Na verdade, o cozinheiro estava no horário de folga e o objeto não era dele, apenas foi ajudar outro torcedor a acendê-lo.

(Foto: Reprodução)

 

A informação foi dada pela mãe de Wesley, Ana Maria Pontes, em entrevista à Banda B na manhã desta quarta-feira (18). “Ele não é de ficar soltando nada de foguete e tudo mais. Pediram um isqueiro para ele, porque estava fumando. Nem era dele o sinalizador. Ele perdeu a mão inteira, mas poderia ter sido no rosto, já que ele aproximou o objeto até a face”, contou a mãe à Banda B.

Athleticano fanático, Wesley mora em frente a Arena da Baixada e não tinha programado a ida ao aeroporto, recepcionar os atletas do Furacão no embarque para Porto Alegre, aonde nesta quarta-feira (18) o Furacão enfrenta o Internacional pela final da Copa do Brasil. “Ele não ia ao aeroporto, mas daí foi com amigos. Está bem agora no hospital, mas vai ter que passar por mais cirurgias. Eu acho que a ficha dele ainda não caiu, de que perdeu uma mão e como isso vai afetar a vida dele para sempre”, destacou Ana Maria.

Segundo a mãe, o cozinheiro completa 39 anos amanhã. A mãe lamentou que vídeos em que Wesley foi exposto tenham viralizado, além de comentários maldosos sobre quem não o conhecia. “Eu não gostei nenhum pouco disso. Fizeram piadinhas maldosas. É lamentável, mas agora é assim, tudo já colocam nas redes sociais”, criticou.

Ajuda

Confusão aconteceu no Afonso Pena (Reprodução)

 

Se teve gente que até piada fez, muitas outras querem ajudar. A torcedora do Internacional, rival do Athletico na final da Copa do Brasil, Bruna Sganzerla, conhece Wesley e passou a organizar uma vaquinha para arrecadar fundos para o tratamento que o cozinheiro terá que passar, que vai de cirurgias até a colocação de uma prótese. “Nessa hora a gente que é torcedor, o sentimento nos une em muita dor. É uma pessoa trabalhadora e que merece muito. Com certeza, toda a ajuda que está vindo é importante”, descreveu.

A mãe colorada tem um restaurante em Curitiba, na qual Wesley já trabalhou. “Ele é um cara muito batalhador, que ajuda os pais a sustentar a casa. É maravilhoso no que faz, seja como garçom ou cozinheiro. Trabalha em eventos e em bares. Ano passado, perdeu um irmão de forma trágica e os dois eram muito ligados”, disse.

A torcedora acredita que Wesley ficará mais alguns dias internado. “Pela gravidade, ele vai passar por mais cirurgias para receber alta. Espero que tudo aconteça de uma forma rápida, para ele estar de novo na ativa”, afirmou Bruna.

Para ajudar, os torcedores podem fazer um depósito na conta de mãe do Wesley. “Estamos recolhendo todos estes comprovantes para depois prestar contas. Qualquer ajuda é muito importante”, concluiu a colorada.

Para o depósito, segue os dados bancários da mãe do athleticano: Banco do Brasil, em nome de Ana Maria Pontes, Agência 1863-5, Conta Corrente 81.352-4.