Os empresários do setor de gastronomia e entretenimento entraram em 2021 tendo pela frente cinco grandes desafios. A maioria é reflexo da pandemia do Coronavírus, que chegou em março de 2020 com o lockdown e fechamento das atividades econômicas e os decretos restritivos.

Foto: Divulgação

Segundo a Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), o primeiro grande desafio do setor é o endividamento. Sem poder abrir os estabelecimentos, as dívidas com aluguel de imóveis, taxas e impostos e salários dos funcionários acumularam, “e vão por pelo menos mais dois anos até pagar”, diz o presidente da entidade, Fábio Aguayo.

Manter as atividades do negócio será uma das tarefas mais complexas diante da crise econômica e as restrições diante da expansão da Covid-19. “Também nos deparamos com a manutenção dos empregos com estabilidade após fim programa do Governo”, ressalta.

A Abrabar também estima grandes dificuldades em conter o reajuste de aluguéis. “Por fim, o quinto grande desafio para o setor será conviver com as restrições sem fim impostas via decretos municipais e do Governo do Estado e as limitações de funcionamento”, completa Aguayo.